Quem vai parar Nadal ?



Depois de quatro rodadas disputadas e o início do afunilamento de Roland Garros posso afirmar com toda certeza que Rafael Nadal é o destaque de longe. Ele chega numa situação completamente diferente do ano passado quando fez três primeiras rodadas ruins e depois deslanchou a partir das quartas. Pelo nível que vem apresentando e a confiança é difícil se imaginar que Nadal deixe de ganhar o HEPTA. Ou será que alguém pode derrotá-lo ?

Dois pontos a analisar sobre a partida de hoje. O que Nadal fez com Juan Monaco foi sensacional. O argentino jogou muito bem no primeiro set e perdeu por 6/2. Isso diz tudo ? Quase. Monaco tem um estilo que favorece ao do espanhol ainda mais no saibro e mesmo que esteja num bom momento ou atuando muito bem, acaba que não consegue achar muitos buracos no jogo do espanhol. O argentino é firme no fundo, troca muita bola, dá ritmo, não tem um grande saque e tampouco aquela bola demolidora. Ele veio com uma proposta mais agressiva, tentando encurtar os pontos. Mas não é sua característica e ainda encontrou um trator que elevou seu nível e acuou o sul-americano ao desespero a partir do segundo e terceiro sets.

Em quatro jogos Rafa perdeu apenas 17 games. Ou seja, uma média um pouco acima de quatro por partida. Em um torneio com partidas de no mínimo três sets isso se resume que Rafa está varrendo todo mundo.

Isso quer dizer que Nadal continuará atropelando todo mundo ? NEGATIVO. Cada rival tem um estilo diferente e cada dia do tenista é diferente. Vimos Nadal se complicar um pouquinho quando Schwank deu uma mudada com voleios, curtinhas na rodada anterior, e nomes como Andy Murray, Roger Federer e Novak Djokovic conseguem atrapalhar a vida do espanhol mesmo que sejam derrotados.

Federer e Djokovic vêm patinando ? Sim senhor. Mas passar por situações complicadas e se safar pode injetar aquela confiança e a partir de agora é que estes monstros passam a exibir suas melhores atuações. Ruim pra eles é que não estão poupando o físico como o espanhol. Que o diga Djokovic que atuou por 4h17 no domingo.

Por certo momento pensei que hoje era o dia de Murray ir embora do torneio. Mas o mental de Gasquet não acompanha seu tênis exuberante. Sua fragilidade na cabeça fica mais latente quando joga em casa (nunca atingiu as quartas em Roland Garros).

O escocês segue vencendo seus jogos com dores e  dificuldade na superfície, mas agora terá um desafio e tanto. David Ferrer, assim como Nadal, vem acabando com todo mundo e nunca perdeu de Andy no saibro. Ou seja, tem uma vantagem mental, além de técnica na superfície. Arrisco meu palpite que Murray sai do torneio na próxima quarta-feira. Mas sua valentia está sendo incrível em Paris.

No feminino o bicho pegou para Sharapova. Ela venceu, mas precisou de 3h em batalha com 20 quebras de serviço. Luz amarela para a musa que vinha muito bem na competição. Coincidentemente a atuação um pouco abaixo do padrão vem logo após a queda de Victoria Azarenka, o que deixa ela perto de assumir o Nº 1 e como franca favorita para vencer o único Slam que não possui. Será que começou a sentir a pressão ? Provável. Ela não ganha um Major desde 2008 e não está no 1º lugar desde a mesma época.

Sharapova será a líder se for à final em Paris e podemos ter uma nova Número 1 sem ter Majors. EXPLICANDO. Sharapova venceu 3 Slams na carreira, mas pode ser assumir o topo sem ter ganhado nenhum Major nas últimas 52 semanas, toda a época que contabilizam-se os pontos. Ela somaria vice de Wimbledon e Paris.



MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo