A Demolidora e o Tédio



Como é nítida a confiança no jogo de Maria Sharapova. Quando ela está bem, como neste Roland Garros, seu saque não vira calcanhar de aquiles – com as inúmeras duplas-faltas – e seus winners vêm em série. Nas três partidas realizadas até aqui todas foram com atropelo e apenas CINCO games perdidos.

Alguns números de Sharapova até aqui em Paris. hoje foram 27 winners e 8 erros. Na 2ª rodada 22 bolas vencedoras e 18 equívocos e na estreia 18 winners e 13 erros.

Incrível também sua evolução nos últimos anos no piso de saibro. Em 2009, quando estive em Paris, a musa patinava o tempo todo e sofria demais para vencer seus jogos, até os mais fáceis. Obviamente que ela voltara da lesão no ombro meses antes, mas sempre Sharapova havia tido problemas em se movimentar na superfície e no lado físico. Sim, o piso lento tem mais trocas de bolas e exige bastante da parte física.

O que vemos agora é uma Sharapova totalmente adaptada, sabendo usar cada espacinho do pó de tijolo e construindo resultados que empolgam o torcedor para conquistar o único Slam que lhe falta.

No tênis feminino, ao contrário do masculino, não há aquela tenista que domina no saibro como temos o Nadal no masculino. É tudo muito equilibrado. E isso facilita para a ascenção de Maria.

A tendência é que, mantendo este nível, Sharapova alcance as finais, mas teremos uma briga boa por aí. Kuznetsova, campeã de 2009, parece ganhar confiança com a vitória sobre Radwanska, Azarenka vem em uma temporada excelente e Na Li recuperando aquele tênis que a levou ao título do ano passado.

De dar sono – No masculino a vida de Nadal segue tranquila. Eduardo Schwank se divertiu bastante hoje, mudou seu estilo, foi pra rede, deu lobs, curtas. Conseguiu fazer 8 games, mas nem deu aquela cosquinha no espanhol. Os jogos do número 2 estão de dar sono. Você sabe o que vai acontecer desde o início e não tem nenhuma emoção.

Bom para ele que vai jogando firme e economizando físico pois a partir de agora promete ter mais trabalho quando disputa as oitavas de final. Juan Monaco está muito bem no saibro, quase derrotou Djokovic em Roma e acaba de passar por Raonic. Lado positivo pra Nadal é que o sul-americano jogou cinco sets neste sábado. Veremos.

Andy Murray não teria muitos problemas com Santiago Giraldo mesmo que lesionado. O colombiano é bom jogador. Só isso. Um kamikaze. Não quer saber de regularidade, trocas de bola, joga a direita reta pesada com o olho fechado e seja o que Deus quiser. Qualquer tenista de qualidade e bom na regularidade tende a vencê-lo. E assim foi. O teste mesmo para a suposta lesão nas costas – isso na Inglaterra tem especialista duvidando no problema – será contra Gasquet. Promessa de uma batakha. O francês lhe derrotou em Roma há algumas semanas.

Vamos lá com minhas apostas para os jogos de oitavas:

Djokovic x Seppi – Nole ganha em 3 sets / Tsonga x Wawrinka – Francês vence em quatro sets / Federer x Goffin – Suíço leva em 3 sets / Delpo x Berdych – Berdych ganha em 4 sets / Ferrer x Granollers – Ferrer em 3 / Gasquet x Murray – Murray ganha em 5 sets/ Tipsarevic x Almagro – Almagro leva em 3 sets / Nadal x Monaco – Rafa ganha em 3.

No feminino eis os palpitões – Azarenka 2×1 Cibulkova, Stosur em 2 sets contra Stephens, Kuznetsova em 3 sets contra Errani, Martic em 3 sets contra Kerber, Li 2×0 Shvedova, Kvitova 2×0 Lepchenko, Sharapova 2×0 Zakopalova. Kanepi ganha de Goerges ou Rus em três sets.

Curtinhas:

Brasileiros muito bem nas duplas. Marcelo Melo ganhando com facilidade de ex-campeões de Wimbledon e do US Open e nas quartas e Bruno Soares vencendo dois bons jogos e com chances de ir às quazrtas amanhã. Vale a torcida!

Espirituoso o russo Mikhail Youzhny ao escrever “Sorry” em quadra por sua má produção na partida contra David Ferrer. Sincero, ele acaba de ganhar mais um fã.



MaisRecentes

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo

Bellucci se reencontra



Continue Lendo

Rep. Tcheca seria o melhor rival do Brasil na Copa Davis



Continue Lendo