O Homem de Ferro



A chave masculina começou a ganhar emoção em Roland Garros. Dos top 3, Federer e Djokovic deram uma patinada. O sérvio só não perdeu um set pois Blaz Kavcic não teve aquela força mental suficiente para tal. O único que escapou ileso e segue marchando fácil é Rafael Nadal.

Andy Murray é que balançou. Se já não é um tanto favorito para alcançar as finais em Paris sua situação piora com a lesão nas costas. Ganhou de Jarkko Nieminen pois o rival se atrapalhou. Liderava 6/1 4/2 com o escocês agonizando com dores, mas colocou Murray na partida e o britânico virou na raça. Resta saber o grau da lesão de Murray para aguentar um torneio com jogos longos e cada vez mais duros a partir de agora.

A parte da tarde de hoje foi sensacional. Na Suzanne Lenglen, Dimitrov liderava, mas com duas horas agonizou em cãibras e ao mesmo tempo Gasquet sentia problemas estomacais e vomitava. O francês acabou se recuperando mais rapidamente para virar.

Na Philippe Chartrier o Homem de Ferro, John Isner, entrava em mais uma batalha. Digo e repito. Os recursos de Isner são pouco. Um ótimo saque e potente direita e uma movimentação que melhora cada dia, mas não se compara com a média dos tenistas normais de 1,80m. Ele compensa com um mental muito forte jogando seu melhor quando está no buraco e com muito coração. Hoje estava visivelmente mais cansado que o rival, mas tirou coelhos da cartola ao salvar cinco match-points. Seu objetivo claro era levar o jogo para a sexta-feira. Faltaram cerca de 20 minutos para tal. Mathieu tanto bateu que conseguiu a virada por 18/16 no segundo jogo mais longo de Roland Garros, 5h41min de duração.

Aplaudo também a luta de Mathieu. Aquele mesmo tenista que ‘aposentou’ nosso Guga em Paris há quatro anos, mostrou que o físico está em dia após ficar um ano parado com uma lesão no joelho. Mathieu sempre foi um tenista temido pelos tops por seu talento e bons golpes, mas que só não foi top 10 pois falhava na hora H diante deles.

Situação de Bellucci – A ATP confirmou que meus cálculos sobre Bellucci estavam certos. Ele tem chances de ir à Olimpíada indo bem nos challengers da semana que vem. Por enquanto nenhuma decisão foi tomada pelo jogador que permanece como 76º da projeção do ranking.

Curtinhas:

Não tem jeito, Jelena Jankovic, que poucos anos atrás liderava o ranking e buscava o primeiro Slam, segue cada vez mais pro buraco e perdeu na segunda rodada. Na Li segue arrasando e Schiavone sobrevivendo no torneio. E Razzano, que eliminou Serena Williams na estreia, veio pro torneio só pra isso. Já está fora na segunda fase. Sharapova, Azarenka e cia. limitada comemoram (risos).

Estou gostando demais das novas aquisições da ESPN de comentaristas. Fernando Meligeni sabe muito do que acontece dentro de quadra e conta bastidores, o jornalista Bruno Sassi entende bastante do esporte e traz muitos dados, informações e história dos jogadores, do torneio e etc. Parabéns à emissora!

 



MaisRecentes

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo

Emoções no US Open



Continue Lendo