Nadal achou o número de Djokovic



Agora não tem desculpa de semana ruim psicologiamente com morte de ente querido. Rafael Nadal venceu um Novak Djokovic em plenas condições e confiante após dominar Roger Federer. Título incontestável, com muitos méritos, com uma leve queda mental de Djokovic provocada em parte pela evolução de Nadal.

Nadal evoluiu em atributos onde necessitava para bater o sérvio: o saque, o revés e uma agressividade com consistência. No primeiro set sacou algo em torno dos 50% do primeiro serviço, índice baixo para seu padrão, mas um serviço mais potente e efetivo. O backhand aguentou firme nas trocas de fundo e não esteve tão vulnerável como em 2011 e Nadal sempre que podia partia para o ataque em seu forehand fazendo o sérvio ter problemas na defesa na corrida para o lado direito.

Dado interessante sobre o serviço de Nadal. Ano passado em Madri e Roma ele teve o saque quebrado 9 vezes contra Djokovic e este ano em Monte Carlo/Roma perdeu o serviço apenas duas vezes.

Essa melhora do espanhol vem causando um enrosco mental no sérvio. Hoje teve um 40/15 no 5/5 do 1º set e não conseguiu sacar bem quando deveria. Teve vários breaks no segundo set e não converteu, perdendo alguns com erros primários de smash, voleios. E ainda se descontrolou quebrando raquete ao fim da primeira etapa.

Mas é bom que se note. Djokovic NÃO joga aquele tênis irresistível de 2011 nesta temporada. Tem lapsos de tais exibições, mas pouco frequentes. O resultado é que vem perdendo com mais frequência e se enrolando com rivais onde atropelava. E parte disso está no mental.

 PARA SER O MAIOR DE TODOS NO SAIBRO – Nadal retoma a condição de número 2 do mundo e será cabeça de chave 2 em Roland Garros. Evita um duelo contra o sérvio na semi em Paris e joga sua confiança lá pro alto para conquistar o HEPTA do Slam no saibro – e seu 50º troféu na carreira.

Nadal somou seu 35º título no saibro. Ainda está atrás de Thomas Muster (40) e Guillermo Vilas (45), mas isso não vai tirar o rótulo dele como o MAIOR de TODOS no piso caso vença Paris e se torne assim o RECORDISTA de títulos por lá.

A BRIGA PELO Nº 1 – Bacana está a briga pelos Masters 1000. Nadal começou na frente, Federer empatou em Indian Wells, Nadal liderou após Monte Carlo, o suíço igualou em Madri e Nadal agora se coloca com 21 a 20 na ponta. Legal também fica a briga no ranking. Nadal a menos de 1,8 mil de Djokovic e Federer a 2,1 mil. Qualquer tropeço do top 3 em Paris causará um grande impacto. E Federer é o que mais pode avançar já que após Paris defende menos.

Não há possibilidade de Djokovic perder a liderança após Roland Garros. Na pior das hipóteses su diferença cai para 600 pontos se ele perder na estreia e Federer for o campeão, ou cai para cerca de 1 mil se Nadal for HEPTA e ele perder na 1ª fase.



MaisRecentes

Nadal chega em Paris com sobras. Djokovic pode brigar



Continue Lendo

Nadal não será afetado por derrota em Madri. Zverev cresce, mas precisa confirmar em um Slam



Continue Lendo

Triplo 11 de Nadal ?



Continue Lendo