Federer ponderou saída do Conselho de Jogadores da ATP. E o saibro azul ?



Ótima reportagem do website do jornalista italiano Ubaldo Scanagatta, http://www.ubitennis.com/, dá conta que Roger Federer, número três do mundo, também não está satisfeito como se imagina com a ATP. O suíço considerou pedir demissão da presidência do Conselho de Jogadores da ATP, que abrange 10 jogadores distribuídos por sua faixa de ranking para lutar pelos direitos dos mesmos dando opiniões para o Board de Diretores da Associação que cuida do tênis masculino.

“Se eu me demitisse, estaria certo que nada mudaria”, afirmou Federer que hesitou em tomar a mesma decisão tomada por Rafael Nadal que em março anunciou sua saída da vice-presidência do Conselho.

O motivo da insatisfação de Federer é parecido com o que levou Nadal a sair e que vem gerando, desde o ano passado, muitas reuniões e discussões com a maioria dos tenistas: a baixa divisão de premiação dos torneios para os jogadores. O suíço concorda com os jogadores, mas acredita que a paciência é ponto-chave para a conquista de melhorias.

“Conversei com alguns jogadores em Miami para explicar o que estava ocorrendo com o prize money dos Grand Slams. Sugeri esperar e ver o que ocorreria com Roland Garros e Wimbledon. E eles tomaram uma iniciativa”, disse Federer.

De fato, os tenistas, com a ameaça de greve, ganharam pequenas, mas algumas vitórias. Os dois próximos Slams anunciaram aumentos na premiação e o maior deles foi para as primeiras rodadas. A Federação Francesa dará 20% a mais para os derrotados na estreia. Na Inglaterra, o aumento pros perdedores da estreia será de 26%.

Mesmo assim ainda não há descarte na possibilidade futura de greve. Mas Federer mantem-se ponderado: “Vou ver em Madri como está a relação dos jogadores quanto a isso que no momento não sei. Rolandm Garros e Wimbledon tomaram as decisões certas. Vamos ver o que o US Open fará”.

Colocando no pingo dos “is”. É bom que os torneios e a ATP se movam sobre o assunto para que problemas não ocorram e as estrelas não fiquem fora do jogo. Mesmo assim é uma questão delicada. Tantos os jogadores precisam dos torneios quanto os eventos precisam deles. Mas se os principais, já com a vida ganha, que se diga, se rebelarem e boicotarem, a ATP e os eventos tendem a perder mais.

Saibro azul ? Jogadores já iniciam os treinos em Madri sobre a inovadora quadra azul. Para Thomaz Bellucci “não há muita diferença” na superfície para a tradicional vermelha. Ficou um pouco vaga sua declaração no twitter. Qual seria está pouca diferença que existe ?

Fato é que esta e a próxima semana, quando começa o torneio, será de muita discussão e polêmica já que Nadal e Djokovic se declararam contrários a nova cor do piso. Madri alega que o saibro azul vcai ajudar ao telespectador em ver a bolinha amarela quicando. Isso pode ser fato. Alguns jogos com muito sol é complicado enxergá-la. Mas o motivo principal é para agradar e chamar atenção ao principal patrocinador, de cor azul, uma empresa de seguros.

Na minha opinião, perde a essência e tradição do saibro que é vermelho. Vamos ver no que vai dar.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo