Federação Americana busca barrar ATP no Rio. San Jose pode ser jubilado



E seguem as negociações sobre o ATP 500 no Rio de Janeiro que vem dando o que falar nos bastidores da entidade que cuida do tênis masculino. E a Federação Americana, a USTA, não está contente e busca travar as negociações.

A IMG, empresa de marketing esportivo, em conjunto com a IMX, parceira e que é comandada pelo bilionário Eike Batista, estão tentando comprar a data em conjunto dos ATP 500 e WTA de Memphis para realizar um torneio combinado na capital carioca já para o ano que vem.

Isso faria com que se diminuísse o número de torneios em fevereiro em território americano, com agora somente duas competições, ambas nível 250, antes dos Masters de Indian Wells e Miami.

De acordo com reportagem da Tennis.com, por este motivo a USTA enviou uma carta à ATP buscando impedir a compra da data com a motivação de que estaria causando um efeito ruim no tênis americano já que a série em território americano ficaria com maior concorrência e com torneios de nível mais fraco, por exemplo, com a série na América Latina que possuiria assim os torneios 500 do Rio e de Acapulco.

Outros dois complicadores que seguem em pauta são o encaixe do Rio de Janeiro nas datas dos eventos latinoamericanos e também a transferência dos mesmos para o piso rápido. Alguns propuseram a mudança para o piso rápido para buscar melhores tenistas. A ATP negou a mudança no passado, mas a maioria da série, Viña del Mar, São Paulo, Buenos Aires e Acapulco, estariam preparados para a mudança. Daí surge outro imbróglio com os jogadores que habitualmente disputam este torneio como os próprios latinoamericanos e espanhois.

E o tênis americano vive outra questão. A San Jose Sports & Entertainment Enterprises, que detém os direitos do torneio de San Jose e de Memphis quer mover o então ATP 250 de San Jose para Memphis. Mas a SAP ainda possui um ano de contrato com o torneio californiano enquanto que Memphis não possui nenhum patrocinador principal.

O Board dos Diretores da ATP deve se reunir na semana que vem para ouvir as propostas tanto da compra do Rio de Janeiro quanto da mudança de San Jose para Memphis. Mas uma decisão não deve ser tomada logo. Enquanto isso a WTA já tem sua posição. Aceita a compra caso o torneio carioca fosse combinado com o masculino.

É amigos, pelo visto as próximas semanas e meses será muito agitada nos bastidores. Eu só me pergunto onde seria realizado este torneio no Rio de Janeiro ? Um ATP 500 e um WTA requer umas 4 ou 5 quadras de jogo pelo menos e mais algumas de treino. Vivo aqui na capital carioca, conheço vários clubes que teriam capacidade, mas não tem uma estrutura grande para se fazer esses eventos.

O Centro de Tênis só ficará pronto para a Olimpíada, ou seja, lá para 2015, 2016.

Tentamos entrar em contato com a assessoria de imprensa da IMX esta semana para saber mais detalhes e não obtivemos resposta. Seguimos buscando e quando tivermos novidades postamos no blog!



  • Marcio

    Eu sou contra a mudança de piso, prejudicaria muito os nossos principais atletas!
    Acredito que seja mais viável trazerum ATP 250 para o Rio e transformar São Paulo num ATP 500, consideramos que aqui temos mais estrutura para esse tipo de evento!!
    E a estruta montada para o Pan?? Ainda está em pé?? Tem condições de receber um ATP?? Tem também o Maracanazinho!! Seria possível montar uma quadra de tênis lá??

  • David

    O centro de treinamentos de tênis que será construído para as olimpíadas no Rio de Janeiro será do tipo monta-faz o evento-desmonta, devido aos custos de manutenção. Essa pela menos foi a informação oficial que recebemos há cerca de dois anos.

  • juarez barboza

    Acho que está passando da hora dos nossos empresários, e olha que temos grandes empresários, tomarem uma posição com relação ao desenvolvimento e apoiar mais os nossos atletas do Tênis. E essa é uma grande oportunidade de trazermos um grande evento para nosso País, uma vez que os americanos estão passando por um período ruím em sua economia. E aí IMX. nosso RJ merece, e o povo Brasileiro também. Boa sorte .

  • João Gomes

    Porque esse evento não pode ser feito na Bahia?Em salvador (Sauipe), tem uma estrutura pronta, e também pregunto:porque no brasil esse tipo de evento não tem a participação feminina?
    Ta na hora gente.Acordem.

    João

    • Fabrizio Gallas

      A IMX do Eike Batista está baseada no Rio de Janeiro, ele quer trazer pra cidade

  • Galera entre, e se gostar, me ajude a divulgar
    http://forehandandbackhand.blogspot.com.br/

MaisRecentes

Federer acirra disputa com Nadal



Continue Lendo

Nadal manda recado para Federer. Halep, enfim, realiza



Continue Lendo

Laver Cup faz história e dá um tapa na cara da Davis. E Bia Maia muda seu patamar no circuito



Continue Lendo