Não quero o Federer!



Definidos os cabeças de chave dos Playoffs que enfrentam os não-cabeças em duelo que vale vaga para o Grupo Mundial de 2013 e que será jogado entre os dias 14 e 16 de setembro. Cazaquistão, Itália, Alemanha, Suíça, Suécia, Israel, Canadá, Rússia enfrentam Brasil, Chile, África do Sul, Holanda, Bélgica, Austrália, Uzbequistão ou Japão.

Aqui as hipóteses dos locais dos confrontos do Brasil – Cazaquistão e Israel (sorteio) / Itália, Suíça e Rússia (casa) / Alemanha, Suécia e Canadá (fora)

Roger Federer já vem em dezembro jogar no Rio de Janeiro e São Paulo. Mesmo que sejam exibições, vai dar muita mídia, ajudará a popularizar o esporte e será bom para todos. Agora tê-lo aqui para um duelo de Playoff de Copa Davis será um tanto indigesto para uma equipe que não joga o Grupo Mundial desde 2003 e bateu na trave nos últimos seis anos. Logo, a Suíça surge como o pior adversário possível para o Brasil em casa.

Vamos então aos melhores oponentes. Lembrando que o sorteio só sairá na próxima quarta-feira, pela manhã. Cazaquistão e Israel seriam os melhores cenários em casa. O time cazaque tem jogadores intermediários e que num dia bom podem incomodar bastante. Os israelenses no saibro são fracos. Só temeria a dupla. Mas é bom que se lembre. É preciso sorteio de país-sede após o sorteio do adversário. Ou seja, teria que ser uma sorte dupla. Em caso destes dois fora de casa, não seria de todo mal, mais complicado pela piso rápido que escolheriam. Mesmo assim, bem vencíveis.

A Itália em casa não seria de todo mal, mas eles tem muitas alternativas e ótimos jogadores no saibro como Fognini, Seppi, Starace, uma boa dupla. Pior por aqui, além da Suíça, seria a Rússia. Mesmo não vivendo um bom momento, Davydenko e Youzhny jogam bem na superfície lenta.

Nas opções fora de casa. O Canadá pra mim seria a pior delas. Milos Raonic cresce cada vez mais e a dupla deles com o Daniel Nestor se torna bem complicada. A Suécia é aquela incógnita. Com o Soderling bem, fica outra pedreira, mas a mononucleose faz com que o ex-top 5 cogite até em parar se aposentar de acordo com especulações da mídia local. Sem mononucleose a situação do Brasil ficaria muito boa já que eles só possuem uma dupla forte e simplistas fracos.

A Alemanha seria outro páreo duro, mas que dá pra ganhar. Tem uma dupla boa com Kas e Petzschner e bons simplistas, mas que são acessíveis tanto num piso lento como num piso veloz e coberto.

O negócio agora é torcer bastante. Nos seis confrontos que jogamos nos playoffs desde 2006, apenas dois foram em casa. E nos últimos anos nossas chances de jogar em casa eram maiores do que desta vez. Quem sabe um sorteio legal para nos favorecer ?

E você qual seria o melhor cenário para o Brasil na repescagem ? Opine!



  • Ronaldo Ponce

    melhor opcao seria a suecia, israel e cazaquistao. o resto vejo o timeb rasileiro como zebra.

  • Otávio Lima

    Pra mim, Brasil x Israel no saibro de rio preto de novo ficaria 10 !!!!

  • Marcio

    Acredito que Israel em casa seria uma boa, mesmo fora se o Bellucci não sofrer um apagão como no US Open contra o Dudi Sela. Uzbequistão é complicado na quadra rápida, na lenta melhor! Quanto aos italianos, vai depender do dia dos nossos tenistas, pois todos os jogadores para mim são bem vencíveis, tal como os alemães (estes porém ficam mais perigosos na quadra rápida).

    Suiça vai ser legal, O Bellucci pode vencê-lo no saibro de São Paulo, que se assemelha mto com o de Madri pela altitude! Facilita o seu jogo! Sem Federer, porém, a Suiça passa a contar só com o Stanislas Wawrinka, que não vai ter físico pra vencer três jogos bem complicados!

  • Joao Paulo

    Muito mal escolhido o título da reportagem.

    Em plena época em que todos aguardam ansiosamente a presença de Roger Federer no Brasil, este título de reportagem parece, no mínimo, de mal gosto.

    Pensem nisso nas próximas escolhas

    • Lucas

      Parece de maU (com U) gosto pra quem tem preguiça de ler o texto. Simples assim.
      Pense nisso nos próximos comentários.

  • Ulices Fernandez Apolinario

    só fica pensar num milagre?

  • Por quê esse medo exarcebado do Federer?
    Copa Davis a história é outra, e Isner e os EUA mostraram isso, inclusive Isner vencendo Federer e Tsonga no saibro!
    Bellucci tem mais jogo que o Isner, apesar de que o americano vive melhor momento, porém no saibro brasileiro se tiver dias como teve contra Colômbia pode derrotar Federer e Wawrinka, e nas duplas o Brasil vence!

    Claro que se o sorteio favorecer ótimo, mas temos que ter pensamento positivo e não temer nenhum adversário pois meus amigos, isso é Copa Davis!

    • Fabrizio Gallas

      Isner amadureceu muito de cabeça e com vitórias sucessivas sobre top 10 mostra que merece estar lá, por enquanto Bellucci ainda tem lampejos bons, apenas isso.

      Se ele tivesse mais regularidade em boas atuações poderíamos ter mais esperança, mas seria um duelo muito difícil

  • guilherme larusso@hotmail.com

    o nosso amigo fabricio parece nao gostar de tenis…lamentavel o titulo da coluna..sem necessidade

  • Rafael Rafic

    Melhor opção seria a Suíça.
    Duvido muito que o Federer venha, pois isso tiraria bastante o “momentum” do tour dele por aqui patrocinado pela Gillette. Com certeza haveria uma pressão da mesma para ele não jogar e, como já seria após os Jogos Olímpicos e o Federer nunca ligou muito para a Davis, ele cederia fácil.

  • pereira

    Se for pro Federer vir e jogar em SP, prefiro vê-lo jogar do que jogadores intermediários de outros países, perder ou ganhar, mero detalhe considerando nossos jogadores.

  • Altaisio Paim

    Bom dia Fabrízio!
    Concordo com vc. Não seria nada bom o Brasil enfrentar a Suíça.

  • Acho que um jogo no saibro, em quadra descoberta, e num calor infernal derruba qualquer adversário, seja Alemanha, Itália, Suíça, Cazaquistão ou Israel! Caso o Brasil seja a sede do confronto, partidas no SAMBÓDROMO DE MANAUS JÁ! É só nossos jogadores passarem a treinar lá das 11h às 16 horas todos os dias, pelo menos uma semana antes do confronto!

    • Fabrizio Gallas

      Calor infernal derruba o Bellucci também, ele não tem bom físico. Por isso jogamos às 16h e não às 12h em Rio Preto…

  • pedro lacerda

    na minha opiniao vai depender muito da cabeça dos jogadores brasileiros no dia porque se o bellucci tive mal vai ficar dificil e o feijao é estreante e ai sempre bate aquele nervosismo mas se o bellucci jogar como indian wells e o feijao como vina del mar que ele chego ate as semifinais eu acho que o mais dificil vai ser a suiça mas o resto com os nossos jogadores com a cabeça boa fica mais facil

    MAS QUALQUER PAIS QUE VIER A TORCIDA VAI LOTAR E TORÇO PARA QUE ESCOLHAM O IBIRAPUERA PARA SER SEDE PORQUE É GRANDE AI ATÉ O FEDERER QUANDO ENTRÁ EM QUADRA VAI TREMER

  • Wagner Botinha

    Acredito que o Brasil possa vencer Israel ou Cazaquistão, em casa ou mesmo fora; contra Itália e Rússia, o piso de saibro e a torcida podem fazer a diferença, em favor do Brasil; contra Alemanha, Suécia e canadá, fora, o Brasil terá remotas chances; Suiça, mesmo em casa, nem pensar!

  • Hooganband

    Receber a Suíça aqui para jogar a Copa Davis e com o Federer seria sensacional!
    Para mim, seria o melhor adversário para o time do Brasil jogar em casa.

MaisRecentes

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo

Bellucci se reencontra



Continue Lendo

Rep. Tcheca seria o melhor rival do Brasil na Copa Davis



Continue Lendo