É Davis, meu amigo!



Como já disse outras vezes ainda não vi uma exibição de gala de Thomaz Bellucci no Brasil. E hoje tampouco foi assim.  Valeu pela empolgação, o espírito de luta, a raça e claro, a virada espetacular.

Copa Davis é isso aí. É uma competição onde a pressão atua de forma diferente. Afinal se defende o país e os nervos são maiores. E o Brasil vinha com 1 a 0 contra a a responsabilidade nas costas dele.

Estava muito fácil. Bellucci jogava muito mal, errava pra tudo quanto é lado e sucumbia com os slices e jogo regular de Alejandro Falla e se via com 2 sets abaixo, breaks contra no 1º game da 3ª etapa.

Eis que Thomaz Bellucci ressurgiu das cinzas, passou a entrar mais quadra, arriscar mais, as bolas entraram e a confiança apareceu de um modo suficiente não para jogar seu melhor, mas sim para vencer que era o mais importante.

Sair com 2 a 0 abaixo seria péssimo para o Brasil, mas com 1 a 1 vem o alívio e as boas possibilidades de vitória. Quem ganhar a dupla dará uma tranquilidade para o jogador que entrará primeiro na quarta-feira: Bellucci ou Giraldo.

Não pense que será fácil. Juan Cabal foi vice de Roland Garros, acabou de fazer um bom resultado em Miami e Robert Farah saca muito bem.

Sobre Feijão. Teve lampejos de ótimo tênis, moderno e agressivo, mostrando defeitos de Giraldo que podem ser explorados por Bellucci como a bola alta em sua direita. Faltou experiência nos momentos importantes, em todos os sets, onde perdeu chances de quebra ou de confirmar o saque. Acontece. Não é fácil estrear em Copa Davis abrindo um confronto no Brasil e contra um jogador em boa fase e com ranking melhor.

Provavelmente tirou aquela ‘nhaca’ da estreia e se precisar definir no 5º jogo tende a jogar um pouco mais solto e diante de um rival mais desgastado.

Nos outros duelos da Davis incrível facilidade da Espanha. Apenas isso. A Argentina levou dois sustos. Nalbandian sofreu virada em jogo de 5h contra Cilic. Inesperado resultado, não a dificuldade do jogo. E as dúvidas em Del Potro que estava com vômitos, problemas estomacais. Mas Delpo não afinou, foi pra quadra e venceu Karlovic com autoridade.

Em Monte Carlo, Isner surpreendeu de novo, quase que varreu Simon de quadra e mostra potencial para derrubar Tsonga numa possível decisão de domingo. A dupla é crucial.

República Tcheca e Sérvia também mostram equilíbrio. Tipsarevic tirou vitória na raça e promete no domingo outra batalha decisiva contra Berdych. Pros sérvios, deixar para Troicki decidir no saibro seria uma péssima notícia.

Curtinhas:

Bellucci venceu pela primeira vez um jogo saindo de 2 sets abaixo e venceu pela quarta vez em 10 jogos onde foi ao 5º set. Falla perdeu pela quinta vez em oito disputados.



  • Fala Fabrizio, tudo bom?
    Comecei um blog esportivo, ae gostaria muito de ouvir a crítica de quem já tá nessa. O nome do blog é “Esporte é minha amante”, e já tem alguns posts “tenísticos” já.
    Abraço

MaisRecentes

Federer pode sonhar com o Nº 1



Continue Lendo

Murray segue perdendo chances



Continue Lendo

A insana chave de Indian Wells



Continue Lendo