Promessa de Batalhas em Rio Preto



A eliminatória a partir desta sexta-feira, em São José do Rio Preto (SP) tende a ser a mais difícil para o Brasil nos últimos anos no Zonal Americano. Mesmo com o confronto em casa, no saibro, o time da Colômbia é o mais forte de todos os tempos e nos traz MUITA preocupação.

Santiago Giraldo, número 1 do país visitante, ocupa o 55º posto no ranking e recentemente fez semifinal no ATP 500 de Acapulco e vem ganhando maturidade e experiência. Alejandro Falla, uma posição abaixo, acaba de ganhar um challenger em condições não muito diferentes que encontrará no interior paulista. A dupla colombiana, Juan Cabal e Robert Farah, é encardida e o primeiro jogador disputou a final de Roland Garros no ano passado.

O ponto fraco dos colombianos é a falta de vitórias importantes em Copa Davis (são 53 anos sem disputar o Grupo Mundial) – o time todo já mostrou sentir a pressão de jogar a competição – e ainda um problema mental quando se enfrenta o Brasil – perderam todos os sete confrontos, incluindo o último em casa em 2009.

Quanto ao time brasileiro paira a dúvida. Thomaz Bellucci terá que conduzir a equipe, mas seu momento é uma incógnita. Faz boas apresentações quando não tem pressão, mas não joga tão bem quando tem a responsabilidade. E sempre tem a questão física, dos jogos se alongarem, as cãibras aparecerem mesmo que os jogos comecem ao fim do dia.

João Souza já ganhou dos dois colombianos, mas fará sua estreia justo num confronto bem complicado e Davis sempre dá um friozinho na barriga. Fato positivo para ele é que na teoria os colombianos possuem um ranking melhor então essa pressão pode sumir rapidamente. O essencial para Feijão seria cair no 2º jogo do primeiro dia e contando com a vitória de Bellucci no primeiro encontro. Por fim a dupla será mais do que decisiva.

A tendência é de que os cinco jogos sejam parelhos mesmo que uma equipe saia vitoriosa por 3 a 0. Não vejo favoritos. Torço para que o Brasil leve a melhor. Daria muita confiança pros Playoffs em setembro.



  • Otávio Lima

    acho que dá 4 a 1 pro Brasil. Feijão acaba perdendo pro Giraldo. E o Bellucci ganha dos dois e a dupla vence.

  • Desta vez, acho que o Brasil sequer terá a oportunidade de disputar uma vaga no Grupo Mundial.

MaisRecentes

Zverev é mais que uma realidade. Federer deveria jogar Cincinnati ?



Continue Lendo

Qual o limite de Roger Federer ?



Continue Lendo

Cilic e a missão (quase) impossível contra Federer



Continue Lendo