Federer se postula a lutar pelo Nº 1



Ganhou Roterdã, venceu Dubai. Vinha com a confiança nas alturas, mas ainda faltava aquela vitória contra Djokovic ou Rafael Nadal. E ela veio neste confuso sábado com muita chuva e vento em Indian Wells, sobre o maior rival e com uma ótima atuação.

A vitória significa muito mais do que diminuir essa freguesia chata que Federer tem com o espanhol ou alcançar a final de um Masters 1000, mas sim para colocá-lo numa posição de poder lutar pelo Número 1 do ranking já nesta temporada.

Com as derrotas de Djokovic e Nadal, os dois perdem bastante (Nole fez 360 e descarta 1000, Nadal fez 360 e tira 600). Na pior das hipóteses, ou seja com o vice, ele fica pouco mais de 1,2 mil pontos atrás do espanhol e 3.7 mil do sérvio. Se for o campeão, serão 800 a menos que o vice-líder e 3,3 mil para Nole.

Coloque na balança que Nadal e Djokovic defendem muito mais pontos que Federer até o fim do US Open e que o sérvio, dono de tudo no ano passado, vem dando umas patinadas como a de hoje.

Sobre as atuações deste sábado. Federer devolveu firme de esquerda, não cometeu tantos erros e Nadal se atrapalhou demais com o vento e cometeu erros bobos, alguns deles em momentos impróprios. Ficou agressivo somente quando empatou em 3/3 na primeira etapa e quando se viu com 5/2 abaixo e Federer sacando pro jogo. Era tarde demais, Federer foi bem demais, conseguiu explorar o revés do espanhol com disciplina e se manteve focado.

John Isner. Alguém dava algo por ele nesse torneio ? Nem o mais otimista torcedor americano acredito eu. Isner é talentoso ? NÃO. Mas compensa todas as deficiências com muito trabalho e força mental adquirida nos últimos anos de circuito.

Ele não é igual ao Karlovic, só saque. Tem uma potente direita e melhorou bastante a movimentação e regularidade no fundo. Ele se fixa na tática de sacar muito e arriscar tudo na devolução pois sabe que Djokovic, Federer e outros conseguem balançá-lo e deslocá-lo quando o ponto fica no fundo. Mas ao mesmo tempo consegue segurar a onda no fundo e ganhar alguns pontos dali. Nos tie-breaks um pontinho que tira na devolução faz a diferença e hoje isso ficou provado.

E neste domingo, jogando novamente sem pressão, vai dar muito trabalho pro Federer numa final que promete alguns tie-breaks. jogo interessante. Certamente Roger vem balançado por ter perdido em casa no saibro na Copa Davis para ele.



MaisRecentes

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo