O mundo da voltas. E o troco do Australian Open



Um mês atrás Roger Federer era muito questionado pela melancólica derrota para o time dos Estados Unidos na Copa Davis em casa, no saibro e para o sacador John Isner.

O que Isner fez ? Basicamente nada. Não brilhou em nenhum dos ATPs medianos jogados nos EUA. Enquanto isso, Federer se enervou e deu a volta por cima. Ganhou Roterdã e Dubai, torneios em condições diferentes e de jogadores de calibre.

A verdade seja dita. Ele não venceu nem Nadal e nem Djokovic, suas pedras no sapato, mas Andy Murray, por exemplo, havia dado uma surpreendente sapatada no sérvio na semifinal. Serve de consolo para seus torcedores ? Não sei. Temos que salientar. As quadras de Indian Wells e Miami são mais lentas, algo que testa ainda mais a paciência de Roger. Mas com a confiança que está, seu favoritismo para o título cresce.

É aguardar a chave que sai na noite desta terça-feira.

Falando em Federer. Ele disse NÃO a Rafael Nadal para uma exibição em pleno estádio do Real Madri, o Santiago Bernabéu, que pode quebrar o recorde de público que é do duelo entre Kim Clijsters x Serena Williams, na Bélgica, para mais de 35 mil pessoas. O motivo alegado foi a preparação para os Jogos Olímpicos.

Pra mim uma boa desculpa para quem foi severamente criticado por Nadal recentemente na Austrália pelo lance do calendário.

Seria um deleite para qualquer um, ainda mais Federer, fã de futebol, entrar para história quebrando o recorde de público e jogando no estádio do clube considerado o maior do século passado. Além do mais o jogo será na grama o que ameniza aquele desvio de preparação caso o evento fosse em outra superfície.

Só pra constar. Federer saiu de Dubai e em 2 dias e com fuso de 9h joga uma exibição com Andy Roddick e dentro de poucos dias tem que jogar do outro lado dos Estados Unidos um torneio importante Masters 1000 com mais 3h a menos de fuso.

Curtinhas:

A disputa pelo ranking começa a fica interessante. Nadal menos de 3 mil pontos de um Djokovic carregados de pontos a defender, Federer com 1,7 mil atrás de Nadal com bem menos do que o espanhol a descartar. Indian Wells e Miami pode indicar muita coisa…

 



MaisRecentes

Nadal de outro planeta. O Adeus da Rainha Maria Esther Bueno



Continue Lendo

Pode Zverev segurar Thiem ? Djokovic comendo pelas beiradas



Continue Lendo

Nadal com caminho mais aberto. Bellucci regrediu



Continue Lendo