O (virtual) top 5



Rafael Nadal é o único dos tops que ficou de fora do fortíssimo ATP 500 de Dubai. Um caminhão de dinheiro não foi necessário para o espanhol estivesse no torneio, mas o restante disse sim e a competição árabe viu na semifinal o que o torneio tinha de melhor com todos os top 5 em ação.

Bem pessoal, não estou ficando maluco. Juan Martin Del Potro ainda é o décimo do mundo – será o nono colocado na segunda-feira – mas na minha opinião, tenísticamente falando ele é o virtual top 5. Delpo vem vencendo seus rivais acima no ranking (inclusive bateu Tsonga, atual 5º do mundo duas vezes seguidas) com frequência e tem bem mais respeito das quatro estrelas do que qualquer outro que completa o top 10. Chegar concretamente nesta posição será uma questão de tempo, seguimento de bons resultados, e ajustes para o argentino.

A evolução do natural de Tandil vem sendo constante, semana pós semana. Alguém lembra das dificuldades de dele no fim de 2010, início de 2011 após o retorno da lesão no punho ? Chegou a ficar abaixo do top 450 há 14 meses. Pouco a pouco foi chegando e nas últimas quatro competições (quartas do Australian Open, final de Roterdã, semi de Dubai e título de Marselha) vem jogando tênis similar ao que o levou ao título do US Open de 2009.

O que falta para Delpo é dar aquele passinho a mais contra os top 4 que cada vez jogam um tênis de maior qualidade. É o simples, mas passo mais importante. Aprvoetiar as chances quando as têm, jogar melhor do que eles nos pontos cruciais. Ficou claro isto nesta sexta-feira. Perdeu em dois tie-breaks apertados contra Federer e não soube fechar o segundo set com 6 a 2 de frente.

A evolução de Delpo eu vejo como parecida com o que fez para chegar ao seu ápice em 2009. Ele ficou ali martelando entre os primeiros até começar a ganhá-los. Por força do destino a lesão o impediu de seguir no que hoje poderia até ser o número 1 ou 2 do mundo. Será que ele consegue se inserir de vez no grupo ? Tem totais condições.

Murray com tudo – As piadinhas já correm soltas no mundo do tênis. Ah, Murray bateu Djokovic, mas e se fosse na rodada decisiva de um Grand Slam ? Fato é que nos Slams Murray não consegue manter a constância de um tênis agressivo, dentro de quadra como fez hoje, em uma partida melhor de cinco sets e com a importância que os Majors têm. Outro detalhe. Os top 3 sempre conservam as maiores energias e alto nível para os Slams. Mas é bom que se ressalte. Nos dois últimos anos Murray perdeu finais na Austrália que o afetaram muito nas semanas seguintes. Ele mostra, com esta vitória, ter minimizado mais uma frustração em Melbourne.

E Muray tem tudo para fazer um jogão neste sábado às 12h contra Federer que vem mostrando muita confiança nas últimas semanas.

Curtinhas:

Roddick ajudou ao vencer Denis Istomin e por enquanto, até pelo menos amanhã, Bellucci está mantido no top 50. Só perde o posto se o colombiano Santiago Giraldo for o campeão do torneio 500 de Acapulco. Giraldo joga a semifinal contra David Ferrer.

Situação alias preocupante. Giraldo vem evoluindo justo quando o confronto diante da Colômbia se aproxima na Copa Davis. Alejandro Falla, pelo contrário, não soma bons resultados nos Estados Unidos.



  • Altaisio Paim

    Del Potro vai incomodar e muito os grandes( Federer, Nadal, Djokovic, Murray..) na atual temporada
    O argentino joga muito tênis e merece esse belo momento que está vivendo.

MaisRecentes

Novo título em Wimbledon significaria muito para mim, afirma Federer



Continue Lendo

O melhor Rafael Nadal entra para a história do esporte



Continue Lendo

Djokovic ou Thiem podem parar Nadal ?



Continue Lendo