O (virtual) top 5



Rafael Nadal é o único dos tops que ficou de fora do fortíssimo ATP 500 de Dubai. Um caminhão de dinheiro não foi necessário para o espanhol estivesse no torneio, mas o restante disse sim e a competição árabe viu na semifinal o que o torneio tinha de melhor com todos os top 5 em ação.

Bem pessoal, não estou ficando maluco. Juan Martin Del Potro ainda é o décimo do mundo – será o nono colocado na segunda-feira – mas na minha opinião, tenísticamente falando ele é o virtual top 5. Delpo vem vencendo seus rivais acima no ranking (inclusive bateu Tsonga, atual 5º do mundo duas vezes seguidas) com frequência e tem bem mais respeito das quatro estrelas do que qualquer outro que completa o top 10. Chegar concretamente nesta posição será uma questão de tempo, seguimento de bons resultados, e ajustes para o argentino.

A evolução do natural de Tandil vem sendo constante, semana pós semana. Alguém lembra das dificuldades de dele no fim de 2010, início de 2011 após o retorno da lesão no punho ? Chegou a ficar abaixo do top 450 há 14 meses. Pouco a pouco foi chegando e nas últimas quatro competições (quartas do Australian Open, final de Roterdã, semi de Dubai e título de Marselha) vem jogando tênis similar ao que o levou ao título do US Open de 2009.

O que falta para Delpo é dar aquele passinho a mais contra os top 4 que cada vez jogam um tênis de maior qualidade. É o simples, mas passo mais importante. Aprvoetiar as chances quando as têm, jogar melhor do que eles nos pontos cruciais. Ficou claro isto nesta sexta-feira. Perdeu em dois tie-breaks apertados contra Federer e não soube fechar o segundo set com 6 a 2 de frente.

A evolução de Delpo eu vejo como parecida com o que fez para chegar ao seu ápice em 2009. Ele ficou ali martelando entre os primeiros até começar a ganhá-los. Por força do destino a lesão o impediu de seguir no que hoje poderia até ser o número 1 ou 2 do mundo. Será que ele consegue se inserir de vez no grupo ? Tem totais condições.

Murray com tudo – As piadinhas já correm soltas no mundo do tênis. Ah, Murray bateu Djokovic, mas e se fosse na rodada decisiva de um Grand Slam ? Fato é que nos Slams Murray não consegue manter a constância de um tênis agressivo, dentro de quadra como fez hoje, em uma partida melhor de cinco sets e com a importância que os Majors têm. Outro detalhe. Os top 3 sempre conservam as maiores energias e alto nível para os Slams. Mas é bom que se ressalte. Nos dois últimos anos Murray perdeu finais na Austrália que o afetaram muito nas semanas seguintes. Ele mostra, com esta vitória, ter minimizado mais uma frustração em Melbourne.

E Muray tem tudo para fazer um jogão neste sábado às 12h contra Federer que vem mostrando muita confiança nas últimas semanas.

Curtinhas:

Roddick ajudou ao vencer Denis Istomin e por enquanto, até pelo menos amanhã, Bellucci está mantido no top 50. Só perde o posto se o colombiano Santiago Giraldo for o campeão do torneio 500 de Acapulco. Giraldo joga a semifinal contra David Ferrer.

Situação alias preocupante. Giraldo vem evoluindo justo quando o confronto diante da Colômbia se aproxima na Copa Davis. Alejandro Falla, pelo contrário, não soma bons resultados nos Estados Unidos.



MaisRecentes

51 vezes Nadal. Uma boa ideia



Continue Lendo

Djokovic está de volta!



Continue Lendo

Um racha no circuito ? 



Continue Lendo