Ameaça Olímpica



Terminou a temporada latinoamericana no saibro para Thomaz Bellucci. O ganha-pão do número 1 do Brasil acabou se tornando uma janela para o aumento de uma crise que se arrasta desde o segundo semestre do ano passado. Nos quatro torneios pelo continente o brasileiro somou 90 pontos, os da semifinal em São Paulo. Perdeu na estreia no Chile, na estreia em Acapulco e não jogou em Buenos Aires por esgotamento. Comparado com os últimos anos, Bellucci ficou devendo e muito. Em 2011 somou 225, em 2010 foram 340 e 215 de 2009.

O resumo da ópera é que Bellucci pode deixar o top 50 na próxima segunda-feira (é o 49º) com seu pior ranking nos últimos dois anos e meio e corre um sério risco de ficar fora até mesmo dos Jogos Olímpicos de Londres dada sua fase ruim. Explico. A lista oficial Olímpica sai no início de junho, um pouco após Roland Garros, e o brazuca terá que defender até lá 550 pontos, 360 deles apenas pela épica semifinal de Madri em maio.

Como a Olimpíada restringe a quatro tenistas por país especula-se que até o número 75, 80 do mundo entraria na competição. Com todo este descarte, Thomaz necessita somar em torno de 250 até 300 pontos para ficar na lista prevista de acordo com o ranking desta semana. Em dois meses completos de 2012 com cinco eventos disputados foram somados 155 pontos pelo brasileiro.

A situação pode piorar um pouco por conta do ranking baixo atual. Como despencou na tabela, Bellucci pode nem entrar nos Masters de Monte Carlo, Roma e Madri, tendo assim que ir para a chave do qualificatório. Dificulta sua jornada.

A nuvem negra paira sobre Bellucci. Nos resta torcer por dias melhores.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo