Federer e Nadal com chaves generosas



Foi definida a chave do Aberto da Austrália no fim da noite desta quinta-feira, já manhã de sexta no horário de Melbourne. Roger Federer e Rafael Nadal caíram do mesmo lado e podem fazer uma semi de Grand Slam que não jogam desde Roland Garros em 2005.

As possibilidades são ótimas se os dois tiverem em condições físicas adequadas – Federer vem de um problema nas costas e Nadal no ombro. Os adversários de ambos favorecem. Na estreia qualifiers. Na segunda fase um Tommy Haas capengando no circuito pro espanhol, e os nada assustadores Beck (ALE) ou Prodon (FRA) para Federer. Na terceira rodada o freguês e em má fase Melzer pro suíço e Ivan Ljubicic para Nadal. um pouco mais complicado se o croata sacar bem, mas ele não está em seu melhor momento. Para as oitavas Rafa pode se complicar um pouco mais com um Feliciano Lopez ou John Isner pelo saque e eventualmente com Nalbandian se o argentino chegar até lá – visto a incógnita de sua condição física.

Para Roger, Dolgopolov ou Verdasco podem atrapalhar um pouco, mas nem tanto. Para as quartas Nadal teria Berdych e Federer encararia Fish ou Del Potro – mesmo sem muita confiança nunca podemos deixar o argentino de fora. Mais complicado para Nadal já que Fish leva a fama de sempre morrer na praia – me perdoe o trocadilho infame.

Djokovic teve um sorteio um pouquinho mais complicado. Stepanek para a terceira rodada, um adversário sempre complicado por seu estilo chato de subir à rede e não dar ritmo. O ascendente e confiante Milos Raonic ou o sempre complicado Andy Roddick nas oitavas e o bravo e guerreiro David Ferrer para as quartas.

No lado de Murray a vida mais dura das quatro estrelas. A estreia mais complicada com o firme e talentoso americano Harrison. Um Malisse que é ótimo no piso rápido e costuma atrapalhar a vida de favoritos. Llodra ou Gulbis na terceira fase. Um Monfils confiante após vencer Nadal em Doha e cair na final e o vencedor do evento do Qatar, Jo Tsonga, que desde o ano passado se mostra em ótima forma.

No lado feminino a curiosidade fica por conta da condição física das favoritas. Serena Williams, Kim Clijsters, Caroline Wozniacki e Maria Sharapova passaram por lesões de última hora. A belga terá que pegar uma confiante Na Li nas oitavas e Wozniacki numa possível quartas. Interessante. Do outro lado temos Sharapova e Serena com a também embalada Kvitova.

Será a tcheca capaz de suportar a pressão de lutar para ser número 1 e confirmar o rótulo como a segunda favorita ? Pergunta que será respondida de acordo com o torneio e um novo desafio para ela ainda mais com monstras sagradas pelo caminho.

E os brasileiros ? Quis o destino colocar Dudi Sela no caminho de Bellucci mais uma vez. A chance da revanche. Mas novamente não vejo com bons olhos. Sela é aquela formiguinha que corre de um lado a outro e mina a confiança do brasileiro. Tomara que Thomaz jogue seu tênis com consistência do início ao fim. Se assim for, vencerá. E na segunda fase vejo poucas chances contra Monfils.

Ricardo Mello pega um quali. Lado positivo é o rival com ranking mais baixo. Lado negativo. Oponente vem com mais ritmo. Vencendo, pegaria Jo Tsonga.  Aí fico bem pessimista. João Souza pega o australiano Matthew Ebden. Confesso que nunca o vi jogar. Então não posso opinar. Mas certamente Feijão estará mais solto nesta segunda participação em um Grand Slam e a pressão é toda do tenista da casa.

 



MaisRecentes

Nadal de outro planeta. O Adeus da Rainha Maria Esther Bueno



Continue Lendo

Pode Zverev segurar Thiem ? Djokovic comendo pelas beiradas



Continue Lendo

Nadal com caminho mais aberto. Bellucci regrediu



Continue Lendo