Vitória para tirar a zica



Ah tudo bem, ganhou dois jogos no Challenger Finals e fez uma bela apresentação na Copa Davis. Mas isso não apagava as sete derrotas seguidas nível ATP – sem vencer desde o início de agosto – um jejum ainda mais amargo quando se olha os rivais para qual perdeu e as várias viradas que levou.

Por este motivo que largar 2012 com triunfo era importante independente do adversário, Rui Machado, que não é dos melhores no piso rápido. Mas de que importa ? Tênis é muito baseado em confiança e Thomaz Bellucci precisava resgatá-la. E urgente. A apresentação de Bellucci foi boa. Não mais do que isso. Sacou firme, conseguiu não ser impaciente nos pontos de fundo e mesmo perdendo chances de quebra na segunda etapa conseguiu ir bem no tie-break, algo que deixou a desejar na temporada passada.

Sou da ideia de que Bellucci deveria ter iniciado o ano em Brisbane para ter mais ritmo e jogos para o Australian Open. Não foi. Agora na Nova Zelândia deu sorte com uma ótima chave e pode andar muito bem pelo menos até as quartas. Enfrentar olivier Rochus – que ainda joga contra o qualifier Tobias Kamke – será um bom teste para a paciência do brasileiro. Veremos.

Curtinhas:

Daniel Orsanic, novo técnico de Thomaz, acompanhou atentamente ao jogo ao lado de Marcelo Melo que fará sua estreia nesta terça contra Bruno Soares. Será interessante este jogo. Bruninho deixou a equipe Centauro de tênis e está com novo patrocínio, a BMG.

André Sá venceu na estreia em Auckland ao lado do espanhol David Marrero.

Thiago Alves foi o campeão do Aberto de SP. Uma grata surpresa. Thiago sempre foi um tenista batalhador, mas que viveu de altos e baixos na carreira. Uma lesão nas costas quase o fez abandonar a carreira – ficou 8 meses fora em 2011. Agora como número 234 do mundo ele volta a sonhar com o top 100 pra quem sabe este ano.



  • BRUNA BRITO

    Ah, espero que o Thomaz vá pelo menos até a semifinal, porque ele deu uma sorte danada com a chave. Além disso, o caminho no AO não deverá ser dos mais fáceis já que ele não será um dos cabeças de chave.
    Quanto aos nossos duplistas, fiquei profundamente chateada com o fim da dupla, nem sei pra quem vou torcer. Eles fizeram um bonito 2011, acho que sobretudo num ano olimpico foi uma grande burrada desfazer a dupla que só fazia melhorar a cada torneio. Torço para que o Marcelo Melo encontre um parceiro a sua altura para fazer bonito na temporada. Já ao Bruno Soares, desejo que seu ambicioso plano de final em Slam, Olimpiadas etc, etc, etc, se concretize, o que eu acho muito difícil (fiquei chateada, ponto.).

  • Estou muito feliz pelo o THOMAZ BELLUCCI, e que 2012 seja o ano dele no tenis mundial;
    e que aproveite o novo tecnico argentino Daniel Orsanic, que tem muito esperiencia internacional e chegue no mais alto dos TOPs do MUNDO DO TENIS.

  • Marcio

    Eu acho que tanto o Bellucci quanto o Alves não fizeram mais que suas respectivas obrigações pelos planos e projetos que pretendem traçar para o ano de 2012.
    O Alves passou por altos e baixos durante a sua carreira, esteve no top 100 em duas oportunidades mas nunca conseguiu se manter em alta por muito tempo.

    • Marcio

      Outro ponto importante a se ressaltar é,se traçarmos uns comparativos entre os anos de 2010 e 2011, chegaremos a conclusão de que o Bellucci deveria ter fechado o ano aproximadamente nas posições 29 a 32 se tivesse mantido o planejamento pós Wimbledon, ou seja, jogando os torneios de terra batida que complementam a temporada européia tais como Umag, Hamburgo e Gstaad.

      O Larri deveria saber que o Bellucci não conseguiria defender todos os seus pontos jogando no cimento, e claro que esta decisão teve um dedo do treinador. Eu acho que neste ano o Bellucci vai pensar duas vezes antes de se aventurar nos EUA, sobretudo se não conseguir defender seus pontos em Madrid e Acapulco!

  • Bruno88

    Chega de Apostar no Belucci,ele já deu provas de que não chegará a lugar nenhum!!!

  • linard

    Olá Fabrizio,
    Bellucci perdeu para o Olivier Rochus. O que dizer? Vacilão? Talvez sim, talvez não. Esse quase anão do tênis, é indigesto mesmo. Mas, mesmo assim, o Bellucci deu mole, após três horas de jogo, ele tinha obrigação de ganhar.

MaisRecentes

Um novo patamar para o Next Gen



Continue Lendo

Touro afia as garras para Roland Garros



Continue Lendo

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo