Previsões do tênis para 2012



Não sou astrólogo, não faço cálculos matemáticos datados de números. Não tenho uma bola de cristal para dizer o que pode acontecer em 2012. Mas como em todo fim de ano – e esta é a última coluna de 2011 – todo indivíduo lança metas, projeções previsões para a nova temporada que começa em breve. Por isso lanço uma brincadeira neste meu último contato com você caro leitor. Quais são suas previsões para 2012 ?

Meu desafio é guardar esta coluna e abrí-la ao término do novo ano para saber se errei feio, acertei mais ou menos ou fui preciso. Confesso que esta última opção é bem complicada por conta da dispura do circuito hoje em dia.

Meus campeões dos Grand Slams para 2012. Na Austrália vou de Roger Federer e Petra Kvitova. Em Roland Garros, Rafael Nadal e a surpresa de Maria Sharapova. Em Wimbledon é a vez de Serena Williams e Federer brilharem. No US Open Novak Djokovic se recupera assim como Kim Clijsters.

No masculino Federer retoma o topo com uma briga acirrada com Nadal e Djokovic. No feminino Kvitova encerra como a líder e Caroline Wozniacki inicia sua queda. Andy Murray continua bem nos Masters, mas como sempre falha nos Majors.

No ATP Finals meus oito classificados serão: Federer, Nadal, Djokovic, Murray, Tsonga, Berdych, Ferrer, Del Potro. Raonic e Tomic vão se firmar e lutar pelo top 10. Juan Carlos Ferrero, Ivan Ljubicic e Fernando Gonzalez farão o último ano no circuito. David Nalbandian vai comemorar o primeiro título da Copa Davis com a Argentina e poderá se aposentar.

Entre os brasileiros, Thomaz Bellucci ganhará 1 ATP e terminará o ano entre os 25 melhores e fará quartas de final em Roland Garros. O país terá três tenistas nos Jogos de Londres com a ascenção de Feijão que terminará entre os 80 melhores assim como Ricardo Mello. Rogerinho Silva entrará no top 100 e os jovens Thiago Monteiro, Tiago Fernandes, João Sorgi e Bruno Sant´Anna vão ter ótimos resultados nos challengers e começarão a despontar.

 

E sobre a Copa Davis. O Brasil vai sofrer, suar muito, mas finalmente vamos voltar ao Grupo Mundial.



MaisRecentes

O legado Andy Murray



Continue Lendo

Federer começa animador em 2019. E não podemos dispensar Djokovic



Continue Lendo

O ano abaixo da crítica do tênis brasileiro 



Continue Lendo