A mística da eterna Copa Davis



A cada temporada e cada confronto como o que rolou neste final de semana em Sevilha, me convenço que a Copa Davis é mais do que especial. Jogos melhor de cinco sets com tenistas deixando tudo dentro de quadra, batalhando não por si, mas sim por seu país, e ainda com atmosfera incrível das torcidas. Por essas e outras que a Copa Davis, quer tenha seus defeitos no apertado calendário do circuito, nunca irá morrer, será eterna.

Falando do jogo de hoje. ESPETACULAR. Mais um deste final de semana. Alguém esperava por um 6/1 do Del Potro logo no primeiro set ? Aquele 6/1 onde Nadal teve chances, mas mostrou nervosismo. Pois é, o cara já ganhou outras Davis (esteve presente em 2004 e 2009), dez Grand Slams, 46 títulos, mas é humano, sente o frio na barriga. Momento chave o segundo set Delpo sacando com 1/0 e 40/0. Aquela vacilida do argentino foi crucial para erguer Nadal. No físico, após 4h43 jogadas na sexta, todos sabiam que Del Potro não aguentaria. Mas ninguém apostava que voltaria no quarto set e ficasse a um game confirmado no saque de levar pro 5º. Se fosse um jogo normal do circuito, difícil que Del Potro voltasse.

Concluindo sobre a Argentina. Time bravo, lutador. Soma seu 4º vice-campeonato, mas acima de tudo merece mais do que nunca ganhar um troféu. Derrotas dolorosas como a deste ano. Para Del Potro dói ainda mais. Podeira ter vencido aquele segundo jogo contra Ferrer, que mudaria a história do jogo. Juan Martin leva sua terceira derrota amarga em final de Davis. As duas de Sevilha e outra no segundo jogo contra a Espanha em Mar del Plata, quando tinha apenas 20 anos.

Sobre a Espanha. Um time sólido com o Nadal que perdeu apenas o 1º dos 21 jogos que fez em Copa Davis, ganhando todas no piso de saibro. Uma fortaleza e agora outro jogador onde se pode depositar muita confiança, David Ferrer além de peças que podem fazer bom papel como Nicolas Almagro, Juan Carlos Ferrero, que não estiveram presentes neste final de semana. O único lado decepcionante do final de semana é por Lopez/Verdasco, fruto também do ano irregular que tiveram.

E a mística ? Em 2008, Verdasco deu o título para a Espanha em Mar del Plata e fez seu melhor ano no circuito na sequência. Em 2009, Nadal ajudou a Espanha em Barcela contra a Rep. Tcheca e fez sua melhor temporada a seguir. Em 2010, Djokovic fez história para a Sérvia e teve um 2011 brilhante. Será que Nadal vai seguir esta mística após um fim de ano frustrante e um 2011 bom, mas que poderia ter sido melhor nas finais ? Veremos. Mas conquistar um título para fechar uma temporada ainda mais desta forma em cima de um Del Potro com um jogaço dá aquela confiança.

Que em 2012 a Copa Davis tenha mais confrontos como este e que o Brasil volte ao Grupo Mundial.



  • Andre

    Nao vai. Pode ajudar pra jogadores medíocres mas pra tops pouco muda. Acho que o Nadal irá ocntinuar sendo top 3 mas seu auge ja passou. Seu fisico ja nao é mais o mesmo, seu jogo de perna tb. ELe nao aguenta mais ir em tnatas bolas impossiveis como antes. Ja perdeu um passo em relacao a mais jovem e a tendencia é perder mais um em breve. COcnerteza irá gnahar mais alguns slam e titulos ainda mas vejo que está na parte decadente da carreira. seu fisico e mental nao sao mais o mesmo, está desgastado já. mas nao me confundam, o nivel decadente de Nadal ainda é melhor que quase todo mundo que tem ai.

    • robson

      “Melhor”? Você acabou de descrever as única caracterísiticas que fazem do Nadal um vencedor, que nada tem a ver com um tênis de excelência, que o espanhol nunca teve e nunca terá. E nesses termos, ele tá abaixo de muitos top 20.

  • Felipe Gonçalves

    É uma pena que mais uma vez os passadores de bola espanhóis (e dopados, segundo o Noah) tenham prevalecido sobre os habilíssimos argentinos. Quem perde com isso é a própria Copa Davis, que vê robôs levantando o troféu pelo 4ª ano seguido.

  • Ana Sandra

    è uma pena que existam pessoas mediocres que ainda insistam em denegrir a imagem dos outros. Os dois países estão de parabéns, chegaram a final e deram o seu melhor dentro de quadra. Sou fã incondicional de Rafa mas tiro o meu chapéu para o Del Potro que jogou muito, lutou muito, deu realmente seu sangue e coração para levar a taça, e também a Nalba que é um jogador excepcional. Quanto a equipe espanhola sem palavras para expressar a união e amizade desses meninos. Espero que eles consigam para 2012 reunir uma equipe forte mas com a mesma união que estes quatro guerreiros.

  • Andréa

    Fabrizio, você acha que, se as lesões não atrapalharem, Del Potro chega, um dia, ao número 1 do ranking? Porque jogo, coragem e raça ele tem…

    • Fabrizio Gallas

      Tem totais condições, joga demais e tem raça

  • Mas,que coisa hem…meu caro Fabricio você está certo..Nadal,embora ás pessoas acham que ele joga feio bem á minoria acha isto.Nadal sem sombra de duvidas terá em 2012 muita coisa boa…me arrisco á dizer com chances reais em 2 GS..e 3 Masters mil..e á medalha olimpica.Quanto ao suposto doping,rapaz..é complicado…só mesmo quando um cair no exame..no mais abraços e vamos torcer para 2012 ser bom!

  • Mendonça

    Fabrízio vc viu o último post do Dalcin do Tenis Brasil??

    Agora ele anda fazendo propaganda enrustida no seu blog, triste, sempre dei a maior credibilidade para este cara.
    O Tenis no Brasil vai mal das pernas!

    Abs.
    Fabrízio, por favor, continue sempre assim, valeu!

    • Fabrizio Gallas

      Não entendi o propaganda enrustida…do que se trata ?

  • Wow, awesome blog layout! How long have you been blogging for? you make blogging look easy. The overall look of your site is wonderful, let alone the content!

MaisRecentes

Federer o franco favorito em Londres. Pouco a se tirar do Next Gen Finals



Continue Lendo

Quanto Nadal está disposto a arriscar por Londres ?



Continue Lendo

Quem é o melhor do ano ? Federer ou Nadal ?



Continue Lendo