Rio usa estratégia para ter o ATP Finals a partir de 2014



Imagina poder ver de perto Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic, Andy Murray entre outras feras jogando um super torneio pra valer e bem de pertinho ? Se depender do esforço do governo do Estado do Rio de Janeiro, o torcedor já pode se programar.

Sede da final da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, o Rio de Janeiro sonha em trazer um dos maiores eventos de tênis para a capital carioca a partir de 2014: o ATP World Finals.

A ideia foi levantada em setembro e o ponto inicial da estratégia para ter a competição que abriga os oito melhores do ano foi sacramentado no último final de semana com o acordo assinado de parceria de marketing da cidade com a entidade que cuida do tênis masculino.

O Rio quer aproveitar o boom do esporte na cidade nos próximos anos e a abertura para receber novos candidatos ao evento que encerra o ano que será jogado em Londres até 2013: “Mesmo ainda não estando aberto, nos candidatamos de cara pra receber o ATP Finals. Já estamos conversando com a ATP pra viabilizar uma forma de trazer este evento pra capital carioca”, disse a Secretária de Esportes do Rio, Márcia Lins.

O formato inicial é exatamente participar a partir deste evento em Londres e durante todo ano que vem de todas as edições e mídias da ATP do mundo comunicando o Rio de Janeiro com o público. Nosso slogan é Rio Amazing Point, é essa a comunicação que fazemos que nos posicione como forte candidato pra trazer o evento máximo de tênis assim que eles abrirem as inscrições dos candidatos”.

“O Rio de Janeiro já vem investindo muito no tênis nos últimos anos, realizando eventos internacionais com a participação de grandes nomes do tênis como foi o do Maracanãzinho com o torneio e o jogo Guga x Corretja e o jogo Guga x Agassi. As comunidades pacificadas já recebem clínicas de tênis em vários eventos. Isso vai fazendo com que agente siga perseguindo os grandes eventos internacionais e trazendo pro Rio um calendário definitivo dos esportes e o tênis além disso é um esporte que tem grande movimentação turística junto com o golfe, nós que vivemos parte da econômia baseado no turismo, ão podemos deixar a oportunidade de passar como destino mundial o esporte”.

Segundo Márcia, os jogos seriam no Maracanãzinho e teria que se construir apenas quadras de treino no local para atender a demanda dos tenistas que participariam do evento. As inscrições para a futura nova sede só abrem a partir de 2012, ainda sem data definida, e muito dependerá do novo presidente da entidade que será eleito dentro de alguns dias, mas o Rio de Janeiro conta com a história dos países olímpicos sempre receberem o ATP Finals. Em 2008, com Jogos na China, em Pequim, Xangai recebia o Finals e agora Londres, com a Olimpíada em 2012, abriga o evento. “Esperamos que se repita a série de sedes pelas Olimpíadas”, concluiu.

André Silva, chefe do relacionamento de jogadores da ATP, destacou que o objetivo do Rio é crescer com o tênis. Segundo ele no momento a cidade não pode receber nenhum evento comum da ATP por conta da dificuldade de datas e receberá torneios challengers. Quanto ao ATP Finals ele deixa claro que a entidade está feliz com Londres, mas não descarta a hipótese do Rio ser a nova sede.

“O Rio está focando em desenvolver o tênis e trazer grandes eventos pro futuro. Estamos muito contentes com o retorno geral que Londres vem nos dando. Existe sim o interesse do Rio de Janeiro em sediar o Finals, mas só vamos conversar sobre a renovação de sede em 2012. No momento estamos com outras prioridades como eleger o novo presidente da entidade”.

Sem medo de boicote. Nas últimas semanas, jogadores como Andy Roddick e Andy Murray citaram uma possível greve dos jogadores por conta do calendário apertado e pouco repasse dos lucros da ATP aos jogadores, mas a entidade não teme que os tenistas tomem esta decisão drástica: “Não tememos boicote dos jogadores. Estamos em reuniões constantes com eles desde o US Open. Respeitamos o que os jogadores pensam e sempre queremos ouví-los e os jogadores sabem o lado da ATP também. Não podemos mudar tudo de uma hora pra outra pois há patrocinadores, uma série de torneios e interesses, é questão de ir conversando para chegar a um denominador comum e fazendo ajustes”, disse André.

Minha opinião. As chances do Rio crescem por conta dos altos impostos cobrados pela Grã-Bretanha em cima dos patrocinadores dos tenistas. Rafael Nadal é o que mais reclama e já não disputará o torneio de Queen´s em 2012. Ao mesmo tempo levar o torneio pro Rio poderia não cair bem pros tenistas já que a ATP fez um mini-circuito pela Europa e a competição no continente facilitaria o deslocamento.

Mas tudo estará em pauta a partir do ano que vem e depende muito da cabeça do novo presidente que virá e obviamente dos concorrentes.



MaisRecentes

Isner é muito mais que o saque e uma direita



Continue Lendo

O que há com Djokovic ? 



Continue Lendo

Del Potro apimenta o circuito



Continue Lendo