Gaudio, mais amigos e sem foco em sexo no seniors. E Guga como ídolo



João Pires

O sempre polêmico Gaston Gaudio, ex-número 5 do mundo e campeão de Roland Garros em 2004, concedeu entrevista ao Blog após sua derrota na estreia do Rio Champions. O tenista que se aposentou recentemente, aos 32 anos, “por falta de resultados e motivação para viajar e seguir no profissional”, disputou sua primeira competição nos veteranos e agora quer desfrutar dos amigos e nem tanto das mulheres.

Em entrevista concedida ao Diário Olé, no fim de 2008, Gaudio apontou que um dos motivos para retornar ao profissional na época era porque lá fazia mais sexo (Leia a reportagem!) . Agora nos veteranos o deleite será aproveitar mais os amigos: “Não foi bem assim o que eu disse, foi um mal-entendido, mas agora jogo o circuito seniors mais pelos amigos que aí estão e as cidades que posso conhecer. Aqui encontrei jogadores que atuei durante toda minha vida e está sendo uma experiência muito divertida em um torneio muito bem organizado pelo Ricardo Acioly que conheço há muito tempo”.

Gaudio, que afirmou estar “mais ou menos” namorando, afirmou estar adorando o Rio de Janeiro “a cidade é linda, me encanta”, mas não escondeu que também “adora as mulheres” cariocas.

O tenista, primeiro argentino a vencer Roland Garros desde 1977, reverenciou Guga, tricampeão do evento parisiense: “Guga pra mim é um gênio do tênis, o maior de todos. Ele é um craque, meu ídolo máximo. Ele e Vilas são parecidos como meus ídolos, mas acabou que eu era jovem, jogava um challenger em Curitiba que ele ganhou e logo depois venceu Roland Garros, e por isso passei a sentir uma admiração por ele”.

Em 2004, Gaudio venceu Paris salvando match-points contra Guillermo Coria enquanto Guga derrotava Roger Federer, mas perdia chance de ir às finais na derrota contra David Nalbandian. Algo que deixa uma ponta de tristeza no argentino: “Não sei se ganharia do Guga em 2004, são situações que são difíceis de provar. Mas se me dissessem que eu ganharia Roland Garros em cima do Guga na final seria mais lindo”.



MaisRecentes

Federer pode sonhar com o Nº 1



Continue Lendo

Murray segue perdendo chances



Continue Lendo

A insana chave de Indian Wells



Continue Lendo