Que tal uma grama vermelha ? Ou azul ?



No último post falamos sobre uma possível ganância de Novak Djokovic para jogar em Paris. Se ele não entrasse em quadra perderia US$ 1,6 milhões a que teria direito de bônus dado ao número 1 do mundo. Pois bem, ele entrou jogou e disse que não pensa em jogar por dinheiro, que é profissional. Vale lembrar que ele se despediu lesionado da Basileia no último sábado.

Não sei se eu acredito nas palavras do sérvio, às vezes tenistas são políticos, evitam falar sobre certas situações que podem os complicar com a ATP ou com outros tenistas. Principalmente se são aqueles que estão no topo.

Mas deixemos esta discussão de lado no momento. Veremos nos próximos dias ou semanas se valeu arriscar o físico em Paris ou custou caro ao sérvio.

O que trago hoje é a problemática do Masters 1000 de Madri que mais uma vez tem a ver com o lance de dinheiro. O torneio será jogado sobre uma quadra de saibro azul, em uma decisão inédita no circuito. Ion Tiriac, proprietário do evento, afirma que a mudança favorece ao tenista e o público, da TV, em pdoer enxergar melhor a bola.

 

Por um lado ele está certo, em alguns torneios, em um dia de sol nem sempre dá pra ver a bolinha corretamente. Mas no fundo no fundo, é tudo jogada de marketing pra atrair foco da mídia e dar poder ao patrocinador principal, o Mutua Madrileña, uma seguradoura, que tem a mesma cor que será a futura quadra do evento espanhol. Ou seja, novamente o dinheiro fica acima de tudo.

Estive em Madri em 2009 e presenciei a estreia das quadras de treino azul. Vi Jelena Jankovic batendo uma bolinha nela. É o saibro vermelho, o pó de tijolo, pintadinho de azul. Na prática não mudaria nada em termos de velocidade como há no Har Tru, que é o pó de cimento e usado apenas nos Estados Unidos e mais veloz que o saibro convencional.

Agora essa troca fere totalmente com o que há de mais tradicional no tênis. Imagina só ir à Wimbledon, torneio mais antigo do tênis e pintar a grama sagrada de vermelho ? Ou de azul ? Seria lamentável. Perderia toda a essência de charme que a superfície traz. Na minha singela opinião, fica feio.

Acho importante inovar para tentar trazer benefícios ao esporte como o caso do Replay-Instantâneo e o próprio teto retrátil de Wimbledon (que Roland Garros e o US Open deveriam ter), mas neste caso é desnecessário. Só trará cornetadas dos tenistas.

Curtinhas:

Rafael Nadal já bateu na organização, via twitter, nesta quarta-feira e certamente haverá um coro contra o saibro azul. Vamos aguardas os próximos capítulos.

Como é obrigatório, boicotar Madri vejo como uma decisão difícil de ser tomada pelos tenistas. A ATP dá sanções de pontos no ranking e grana.

 

 

 



MaisRecentes

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo