A confiança que Federer precisava. E nem Djokovic aguenta…



Dez meses sem títulos não é nada bom pra quem se acostumou a ganhar tanto. Some aí eliminações dolorosas perdendo match-points ou boas chances de mudar o curso nos torneios importantes. O resultado era um Roger Federer jogando bem, mas sem aquela essência vencedora que o fez dominar o circuito por cinco anos.

Nada como voltar pra casa, sentir os bons ares do torneio pelo qual já foi pegador de bolas, o evento que deu aquele impulso para tudo começar. Assim Roger Federer conquista a Basileia e mesmo que só tenha vencido rivais fregueses resgata aquela confiança meia esquecida que o fez sair do top 3 após oito anos.

Federer não só ganhou o torneio. Passou por cima de quase todo mundo. Mostrou que motivação ele tem de sobra pra disputar os torneios. O que faltava era a tal da confiança e ganhando, mesmo que seja um torneio menor, ela tende a reaparecer quando enfrentar os cachorrões nos principais eventos.

Paris vem aí e o principal desafio parece ser Andy Murray, que está no mesmo lado da chave. Aliás, o britânico não deve ter gostado de ouvir da boca do suíço que ele “não sabia o que queria da vida” ao reclamar do calendário e ainda pedir convite para jogar na Basileia e desistir momentos antes da estreia. Promessa de faísca caso este jogo ocorra.

E a dureza do circuito vitimou Novak Djokovic. O sérvio vem acusando problemas de lesão no ombro há séculos, mas vinha administrando até a série de jogos (venceu 67, perdeu 4) começarem a influenciar no fim da temporada do verão americano. Veio um problema sério nas costas, seis semanas sem jogar e agora o ombro novamente atrapalha a quase perfeita temporada. Alguns veículos apontam que ele não jogará Paris. Uma pena, o torneio perde com isso e o circuito segue fadado às desistências de fim de ano. Rafa Nadal é outro que está fora.

Curtinhas:

A boa campanha de Marcel Granollers pelo segundo ano seguido em Valência só me faz crer que Thomaz Bellucci pode UM DIA jogar bem no piso rápido. O espanhol não tem nada demais em seu jogo. E Bellucci tem qualidade. Que ainda não foi bem explorada na superfície.



  • Julia Mendes

    Parabéns a Federer! Ele merece esse trofeu após tantas críticas, alguns comentários maldosos indicando sua decadência. Quem foi REI não perde a ‘majestade’, aplausos de pé!
    Quanto ao Djokovic, as pessoas precisam entender que nada é para sempre, ele esteve acima dos demais, mas, manter-se no topo no próximo ano será muito difícil, alem dos tantos pontos a defender. Ele vai passar em 2012 o que Nadal passou este ano, só que o espanhol esteve em quase todas as finais disputadas com o sérvio.
    Não concordo na comparação Granollers x Bellucci. Falta ao Thomazinho vontade de vencer e principalmente humildade, quanto mais ele perde levanta aquele nariz…assim fica difícil.

  • joao luiz tinoco

    muito bem lembrado fabrizio…acabei de acompanhar o jogo do monaco e do granollers..nao tenho duvidas que o bellucci é melhor que os dois,tanto no saque quanto na potencia nos golpes …nao entendi porque o brasileiro preferiu jogar na basiléia onde la estavam federer, djokovic e murray… o torneio em valencia tinha jogadores de menor ranking e vendo jogos em ambos torneios acho que a quadra em valencia estava mais lenta creio eu… a chave do bellucci em paris ta boa fabrizio…ele pode ganhar do bogomolov, depois mediria forças com o tipsarevic que nao é nada de espetacular..numa terceira rodada seria raonic(sacador) e roddick em decadencia….vamos torcer por ele…

    • jadir

      Realmente sr. João Tinoco, o Bellucci precisa escolher os torneios mais fáceis, afinal ele não chega ser nem um Melligeni. Em tempo, sr., a chave de paris está boa para o Bebe: Bogomolov 2 x Bellucci 1

      • joao luiz tinoco

        e afirmo novamente meu CARO JADIR ..a chave estava boa para ele pois se tratando de um masters 1000 até que ele deu sorte..mas a fase dele é ruim… ..uma pena que nao foi competente para ganhar do bogomolov ..ele nao tem que escolher torneios mais facéis afinal ele nao é meligeni.. o bellucci tem 23 anos e 2 titulos de atp e ja foi numero 21 do mundo..o melhor que o fininho conseguiu foi ser numero 24 d atp…quando o bellucci encerrar carreira poderemos ai sim compará-los…este mesmo BEBE fez semifinal de masters 1000 de madrid em maio fato que ha 8 anos isso nao acontecia com um brasileiro…é..realmente brasileiro tem memória fraca…….

  • Rafael

    Roger rumo as vitórias no final da temporada !!! Todos esperamos que ele retome o costumeiro caminho dos títulos e jogue por mtos anos….

    Go Roger !!

  • Federer nao precisa provar mais nada ao mundo. Mas parece que ele pretende provar mais algumas coisas a si proprio. E quem ganha com isso somos nos, amantes do tenis. O ano de 2012 promete muito, pois poderemos ver um Nadal voltando a normalidade, um djokovic nao ganhando tanto e um Federer motivado. Ah! Já ia me esquecendo do Murray, ou será que ele nao merece ser esquecido. Estou com Federer, o Murray nao sabe o que quer e pelo jeito nao terá forcas para ganhar um Slam, apesar de ser cedo para prognósticos. E quanto ao nosso Belucci apesar de torcer incansavelmente por ele seus últimos jogos tem deixado, pelo menos a mim, duas indagações: Falta físico e poder mental. Abraços a todos.

  • Wellington

    Hoje o Federer jogou como um grande campeão, e principalmente vibrou e teve vontade de ganhar. Talento ele tem e todos sabem disso, mas para ganhar dos grandes do circuito como o Djokovic, Nadal e o Murray ele tem que jogar assim e aproveitar as chances que lhe aparecerem. Não dando as suas famosas viajadas. Paris vem ai o Nadal e o Djokovic não vão jogar só tem o Murray na sua chave. Então se continuar jogando nesse nível ele vai longe no torneio.

  • Valeu Federer! Voltou a jogar seu tenis classico, academico e de alta competitividade.O jogo contra Nishikori mostrou Um Federer exuberante dono de golpes precisos e de altissima qualidade.Nao ha duvidas que ele tem muito a jogar ainda. Para nossa felicidade.

  • quen e rei nunca perde a majestade ne djokovic jogou muito esse ano ,murray jogou bem esses meses, rafa e sempre perigoso mas federer e genio o aguarden em paris e no atp finals ele vem babando para terminar o ano bem e 2012 o aguardem

  • Excelente post. Esta vitória faz com o que o Federer cresça no final desta temporada!!! Voltou a ter consisntecia no seu jogo e seu serviço voltou a funcionar.
    Tomei a liberdade e adicionei seu blog na lista de link do meus site!!
    Abraços!

  • Jose Inacio de Freitas Filho

    Fabrizio, as coisas no patamar de Federer, Nadal, Djokovic ficam assim: o desempenho habitual destes tenistas tanto impressiona, que ficamos considerando um ATP500 como um torneio pequeno [palavras suas – eu sei: sem desmerecimento]…
    Para nosso Belucci, por exemplo, seria uma coisa maravilhosa vencer um ATP 500; para Federer, pouca coisa. Deuses do tennis ajudem o brasileiro.
    Belo post [como sempre], FG.

MaisRecentes

Um novo patamar para o Next Gen



Continue Lendo

Touro afia as garras para Roland Garros



Continue Lendo

Maior de todos no saibro, Nadal já pode almejar liderança na temporada



Continue Lendo