Entendendo a polêmica das bolas no tênis



Assistindo o vôlei feminino nos Jogos Pan-Americanos na pacata noite de sábado me surgiu a ideia sobre um post. As meninas reclamam da diferente bola que não é usada nos principais torneios mundiais. Como não acompanho 100% sobre o vôlei, não vou querer me meter no mérito deste esporte, mas usarei o gancho para falar um pouco do que ocorre no tênis.

Em nosso esporte são mais de 60 torneios do principal circuito da ATP e em todos eles há tipos de bolas diferentes (maiores, menores, com muita ou pouca pressão) com uma variedade enorme de fabricantes. Em primeiro lugar se prioriza aquele fabricante que oferecer o patrocínio. E o mesmo nem sempre agrada a gregos e troianos, sempre terá alguém para reclamar.

O que acontece são as giras que costumam utilizar as mesmas bolas. Ocorre isto na gira do US Open Series com a série de torneios nos Estados Unidos até o último Grand Slam do ano em Nova York e o mesmo com a série no saibro europeu até Roland Garros.

Duas polêmicas rondaram o esporte este ano. Roland Garros optou por mudar a bola, para uma mais rápida gerando muitos protestos visto que em todas as outras competições outro tipo foi usado. E agora nos torneios asiáticos aconteceu algo parecido com o principal torneio, em Xangai, China em relação às duas outras semanas. A diferença é a que a repercussão na Ásia foi menor visto que vários tops desprezaram ou não compareceram por problemas físicos. Mas Rafael Nadal e Andy Murray não esqueceram de dar aquela criticada.

A reclamação dos tenistas procede, é justa. Um mínimo de uniformidade tem que ser valorizado nas principais competições. Mas o que desejo atentar é que o tenista é um ser em constante adaptação. São de 20 até 30 em lugares diferentes, com fuso-horário e viagens desgastantes, tipos de superfícies distintas e bolas das mais variadas para se atuar.

Tudo isso influencia para que o tenista seja um ser especial e somente os grandes tenham aquela capacidade de ir bem sempre e o resto varie mais do que o torcedor deseje.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo