Na mão (ou não) de Murray. Fracasso da gira asiática



Desde que foi reformulada em 2009, a gira asiática com três semanas incluindo dois ATPs 500 e um Masters 1000 não caiu no gosto dos tenistas em termos de desempenho ou presença. Apenas em 2010 tivemos a presença em massa e o bom desempenho dos jogadores.

Afinal o que ocorre ? Pelo que se conta a estrutura é das melhores, duas competições possuem quadras com teto retrátil e a principal competição tem facilidades incríveis, onde você é recebido como Deus no hotel da competição.

A problema é mais pelo calendário e a distância. Os torneios ocorrem já no final do ano, após o desgastante US Open e uma rodada importante da Copa Davis (a maioria está em ação nos Playoffs ou nas semis). Muitos problemas com lesão ou cansaço afeta o desempenho ou faz com que várias desistências ocorram.

Este ano, Roger Federer e Novak Djokovic não quiseram saber de pegar um avião e viajar mais de 10h, 12h. Robin Soderling foi outro grande desfalque. Rafael Nadal foi bem em Tóquio apesar do vice, mas pela segunda vez consecutiva não conseguiu bom desempenho em Xangai.

E o único Masters 1000 asiático do ano mais uma vez não terá nenhum dos top 3 erguendo o troféu. As zebras, a exemplo de 2009, estão passeando. Tsonga, Berdych, Fish, que brigam por vaga no ATP World Finals não aguentaram assim como Nadal. E assim temos alguns jogos improváveis como Lopez x Florian Mayer, Nishikori x Dolgopolov.

A sensação é de que o torneio cai no colo de Andy Murray que enfrenta o inexperiente Mathew Ebden nas quartas e tem como adversários mais fortes o decadente Andy Roddick ou o bravo porém nada assustador David Ferrer – isto se eles alcançarem vaga na final.

Murray por enquanto é que melhor vem aproveitando essa gira. Faturou dois títulos e se for bi na China desbanca Roger Federer do top 3 pela primeira vez desde 2003. Mas neste Masters nada é garantido. Sempre é bom ficar atento.

Curtinhas:

Ontem à noite o site oficial do torneio de Xangai cometeu uma gafe. Deu que Lopez havia vencido Berdych por retirada. O tcheco entrou, jogou, mas perdeu. Premonição ?

David Ferrer, sempre valente e batalhador, ganhou como prêmio a vaga pela terceira vez no ATP Finals de Londres, torneio que reúne os oito melhores do ano. Berdych perdeu chance de se aproximar e lutará na Europa com Fish, Tsonga, Almagro e Simon. Soderling e Monfils podem nem mais jogar este ano e se jogarem vem de problemas físicos.



MaisRecentes

51 vezes Nadal. Uma boa ideia



Continue Lendo

Djokovic está de volta!



Continue Lendo

Um racha no circuito ? 



Continue Lendo