Não merecia perder…



A Copa Davis é apaixonante por essas e outras partidas épicas. Infelizmente não caiu pro nosso lado, infelizmente a experiência de Mikhail Youzhny valeu no jogo chave para vencer uma batalha histórica com Thomaz Bellucci. Nosso tenista jogou muito bem novamente, mostrou uma valentia digna de uma postura desta competição. Mas para ganhar do Youzhny hoje precisava beirar à perfeição e algumas vaciladas custaram caro. Nem falo dos dois match-points no 9/8 no 5º set, Youzhny teve méritos, mas sim do início do quarto e quinto sets onde o brasileiro pecou demais ao perder o saque com algumas bobagens.

E no quinto jogo Ricardinho Mello foi melhor do que na sexta-feira e fez o que podia. Assim como na derrota na Índia aquela ansiedade pelo jogo anterior o afetou e entrou visivelmente abatido após a queda de Bellucci.

Sem dúvida é a primeira vez que vejo o time atuar tão bem após anos de Copa Davis – isto contra times grandes em condições desfavoráveis, não vamos contar duelos contra Colômbia, Uruguai ou outro país do Zonal ok ?

Algo que é preciso ser dito. Thomaz Bellucci conseguiu evoluir, jogar seu melhor tênis em Copa Davis, mas ainda falta aquela vitória marcante, que por pouco não aconteceu hoje. E seu recorde em duelos no 5º set não é bom, perdeu 5 de 8 partidas, todas as três deste ano.

E é bom, para o próximo confronto, seja onde for, o capitão João Zwetsch buscar outras alternativas para o segundo de simples do Brasil. Ricardinho Mello é muito bravo, lutador, mas mostrou limitações neste confronto. Não digo que João Souza, o Feijão, ou Rogério Dutra silva seriam melhores opções que ele neste encontro. No meu ver Mello deveria ter sido chamado. Mas é preciso dar mais chances a estes ou outros que surgirem eventualmente no ano que vem visando sempre o futuro e sempre maior ganho de experiência para duelos tão duros como este.

É duro, é chato perder dessa forma. Tanto eu como os brasileiros que vieram nesta cobertura, ficamos sentidos, mas acompanhamos de perto o trabalho, luta e desempenho e só temos a aplaudí-los. O Grupo Mundial é questão de tempo, com este espíritop que mostramos esta semana, vamos chegar lá.

Curtinhas:

Depois da vitória de Youzhny todo mundo deu o confronto como acabado, a imprensa russa ficou vendo basquete, a torcida foi embora e até a lojinha de souvenirs da seleção olímpica encerrou os trabalhos.

E alguns jornalistas russos foram um tanto inconvenientes nas coletivas de imprensa. Perguntaram ao Bellucci se ele gostava de futebol e qual era o time dele logo após aquela porrada mental. Óbvio que a repórter ficou sem resposta: Desculpe, mas não estou em condições de falar sobre futebol agora” Para Mello perguntaram o que ele tinha achado do complexo de tênis. O capitão intercedeu: “Putz, fala que é do caralho Mello. E ele disse é ótimo”. Os caras quase chorando e se pergunta isso. Não dá…



MaisRecentes

Nadal de outro planeta. O Adeus da Rainha Maria Esther Bueno



Continue Lendo

Pode Zverev segurar Thiem ? Djokovic comendo pelas beiradas



Continue Lendo

Nadal com caminho mais aberto. Bellucci regrediu



Continue Lendo