Nalbandian cutuca Nadal. Agora começa o torneio!



“Não estou em meu melhor momento, mas sei como jogar para ganhar do Nadal”. Frase de David Nalbandian após vencer Ivan Ljubicic e saber que enfrentara o número dois do mundo no US Open (retirada do twitter do meu amigo jornalista argentino Jorge Viale – @FueBuena).

Uma cutucada de leve do argentino que já dá o tom de que a partir de agora já começa verdadeiramente o último Grand Slam do ano.

Na verdade o torneio teve seu primeiro dia empolgante nesta sexta com Andy Murray precisando jogar cinco sets, Maria Sharapova lutando muito, mas sendo surpreendida, Samantha Stosur fazendo jogaço com Nadia Petrova e outras zebras como quedas de Melzer e Wawrinka em cinco sets.

Mesmo assim o sábado dará início ao esperado enfrentamento dos melhores, dos cabeças de chave. No feminino imperdível duelo entre Serena e Azarenka. Difícil prognóstico, mas a americana pode ganhar na experiência.

No masculino teremos Federer, Tsonga e Berdych com duelos difíceis diante de Tipsarevic, Verdasco e Cilic e pro domingo as partidaças de Nadal x Nalbandian, Del Potro x Simon e Murray x Lopez.

Sobre Nadal x Nalbandian. O argentino ainda não vi jogar neste torneio, mas parece recuperar parte da forma com dois bons triunfos. Nalbandian com um mínimo de forma é sinal de perigo pra Nadal. Seu revés cruzado de duas mãos incomoda e muito o espanhol. Mas Rafa evoluiu em relação à estreia na segurança do fundo de quadra, o que é um bom sinal.

Estou muito curioso para ver os jogos de Del Potro e Murray. O argentino mostrou uma série queda no físico em um jogo bem fácil contra o esforçado, porém limitado Junqueira. Simon, como já bem vimos, gosta de jogo longo e tem bom preparo. É também aquele enrolador no fundo de quadra – devolve todas. Não será bom negócio Delpo começar a partida impreciso. O escocês pediu pra perder hoje. Só não conseguiu pois o rival ainda carece de experiência e teve um problema nas costas. O retrospecto de 5 a 0 deve contar a seu favor, mas Lopez é sempre perigoso num piso rápido, principalmente se estiver inspirado no serviço.

Bem. Esse é só o início. Agora é preparar a pipoca, o guaraná e curtir que daqui em diante é só emoção em Nova York.

Chegou ao fim o sonho do Rogerinho Dutra Silva. Apesar da queda hoje, diante de um adversário que este ano entrou no circuito e já é top 50, deu pra ver que o brasileiro, além da garra habitual, está com um jogo mais firme no fundo e atuou agressivo por certas vezes. Para um piso rápido falta mais efetividade no saque, mas pro saibro Rogerinho pode obter ótimos resultados e ir além do top 100 que deve chegar logo logo (com este resultado ele subirá algumas posições no ranking onde é o 114).



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo