Uma hora iria pifar…



Já deveria ter sido ontem. Só não foi porque Tomas Berdych falhou na hora de fechar o 1º set e bateu aquele desânimo de ter que virar contra um cara que está imbatível este ano.

Mas hoje não deu. Novak Djokovic é ser-humano e não uma máquina. Com 59 partidas no ano e agora duas derrotas uma hora iria pifar. E como o mesmo afirmou logo após o jogo, as dores no ombro datavam de dez dias atrás e vinham só aumentando, aumentando.

Fato é que Djokovic conseguiu essa bela sequência por: 1) incrível nível técnico 2) confiança adquirida pelas vitórias 3) forma física invejável 4) calendário inteligente.

A melhor marca de um ano é de John Mcenroe com 82 vitórias e 3 derrotas em 1984. Sua segunda derrota veio apenas na 61ª partida, justo em um 21 de Agosto e também em Cincinnati. A diferença é que ela veio na primeira rodada. Naquele ano McEnroe perdeu mais um jogo de Copa Davis e conquistou o US Open. Bom presságio parta Djokovic em Nova York ?

E Andy Murray ganha uma confiança a mais pro US Open com este título, mas o sérvio continua como o grande favorito.



MaisRecentes

Nadal aterroriza em Monte Carlo



Continue Lendo

Isner é muito mais que o saque e uma direita



Continue Lendo

O que há com Djokovic ? 



Continue Lendo