Uma hora iria pifar…



Já deveria ter sido ontem. Só não foi porque Tomas Berdych falhou na hora de fechar o 1º set e bateu aquele desânimo de ter que virar contra um cara que está imbatível este ano.

Mas hoje não deu. Novak Djokovic é ser-humano e não uma máquina. Com 59 partidas no ano e agora duas derrotas uma hora iria pifar. E como o mesmo afirmou logo após o jogo, as dores no ombro datavam de dez dias atrás e vinham só aumentando, aumentando.

Fato é que Djokovic conseguiu essa bela sequência por: 1) incrível nível técnico 2) confiança adquirida pelas vitórias 3) forma física invejável 4) calendário inteligente.

A melhor marca de um ano é de John Mcenroe com 82 vitórias e 3 derrotas em 1984. Sua segunda derrota veio apenas na 61ª partida, justo em um 21 de Agosto e também em Cincinnati. A diferença é que ela veio na primeira rodada. Naquele ano McEnroe perdeu mais um jogo de Copa Davis e conquistou o US Open. Bom presságio parta Djokovic em Nova York ?

E Andy Murray ganha uma confiança a mais pro US Open com este título, mas o sérvio continua como o grande favorito.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo