Djokovic colocado à prova



A temporada de Novak Djokovic é brilhante, acima das expectativas. Tudo que ele fizer daqui em diante não apagará o que já fez até Wimbledon, mas agora começa uma nova etapa na carreira do sérvio: lidar com o número 1.

Chegar a este posto já é muito complicado, ainda mais numa Era de Federer e Nadal. Mantê-la será pior ainda. E este é o desafio de Nole. Todo número 1 passa a ser mais badalado, dá inúmeras entrevistas, vira um pop star. Mas ao mesmo tempo é o tenista mais desafiado do circuito, pelo qual todo rival dará a alma para vencê-lo.

E essa etapa começa a partir desta segunda-feira em Montreal para Djokovic. E ele terá de cara uma tarefa indigesta. Pegou uma chave bem complicada. Logo na estreia a possibilidade de enfrentar Nikolay Davydenko. Um tenista que não vive a melhor fase, mas que se está em um bom dia ganha de qualquer um, como já mostrou recentemente. Em seguida Juan Martin Del Potro que dispensa comentários e na semi duelo contra Roger Federer, único tenista a batê-lo na temporada – em Roland Garros.

Vejo a chave do restante dos top 4 bastante interessante, mas menos complicada do que a de Nole. Federer pode ter um embate de gerações com o menino prodígio Bernard Tomic. Andy Murray tem no caminho Mardy Fish e Rafael Nadal e o espanhol o tcheco Tomas Berdych e o irregular Fernando Verdasco.

O brasileiro Thomaz Bellucci tem uma boa primeira rodada – o decadente Andrey Golubev. Depois possível duelo contra Richard Gasquet, a reprise da terceira rodada em Roland Garros. Bellucci será 35 do mundo na semana que vem e o ideal seria vencer duas no Canadá para se garantir entre os 32 melhores que serão cabeças no US Open. Mas este início no piso rápido do brasileiro não é nada animador.

Que pena.. Feijão foi eliminado na semi de Kitzbuhel. Depois de um primeiro set nervoso, soltou seu jogo, mas caiu no velho problema da distração do começo do set seguinte. Alguns erros, saque quebrado e o holandês Robin Haase o quebrou e não vacilou mais no serviço. De qualquer forma excelente campanha do Feijão que será 90 do mundo, novo número 2 do país fazendo um ótimo resultado de ATP. Agora terá mais acesso aos torneios ATPs.

Copa Davis – A Austrália escolheu a grama para enfrentar a Suíça (em Sydney). Escolha arriscada pois Federer é simplesmente hexacampeão de Wimbledon. Mas ao mesmo tempo eles fazem duas apostas. ]A primeira é que Roger não vai querer viajar o mundo logo após o US Open trocando de piso. A segunda é em seus jogadores. Hewitt joga bem na superfície e Tomic fez quartas no All England Club batendo Soderling, Davydenko e dando calor em Djokovic.

Semana ótima pro tênis brasileiro. Além de Feijão temos Rogerinho na final de Campos do Jordão, Ferreiro/Sá vice em Kitzbuhel, Melo/Soares na semi em Washington derrubando a dupla número 1 do mundo.



MaisRecentes

51 vezes Nadal. Uma boa ideia



Continue Lendo

Djokovic está de volta!



Continue Lendo

Um racha no circuito ? 



Continue Lendo