Brasil x Rússia. O mistério está no ar…



Alguém que comanda um time da Rússia da Copa Davis há 37 não pode se esperar amadorismo. Entrevistei Shamil Tarpischev por email e ele detalha suas expectativas para o confronto diante do Brasil. Leia Aqui e Entrevista Completa!

Shamil mostra sinceridade. Teme o “jovem e crescente” time brasileiro, rasga elogios a Thomaz Bellucci, mas deixa claro que conhece apenas ele e que fará de tudo para saber sobre os outros jogadores. Como ? Através de um canal de televisão de tênis local. Mas o trabalho de Shamil será um pouco complicado se seguir esta linha e óbvio que ele não fará assim. Em primeiro lugar nosso número 2 de simples, seja ele Ricardo Mello ou outro, joga poucos torneios da ATP e hoje em dia raros jogos de duplas são transmitidos. O jeito é mandar representantes (consultores) ou ele próprio acompanhar os mesmos.

O que mais se falou na imprensa mundial meses atrás era sobre a aposentadoria de Mikhail Youzhny da equipe russa. Tarpischev nega. “Ele nunca se retirou da Copa Davis”. Shamil termina dizendo que vai conversar com Mikhail e quer ter ele no time assim como deseja a volta de Nikolay Davydenko, que vive uma série de lesões.

Em Copa Davis é comum um tenista anunciar sua aposentadoria e daqui há um ou dois anos voltar. Faltam pouco menos de dois meses, mas esta notícia é ruim pro time brasileiro. Com Youzhny a equipe russa ganhar força ainda mais em um piso coberto e rápido. Com Davydenko, aí depende da forma dele. No momento vem acumulando fracassos. Se melhorar, nossas chances ficarão reduzidas.

Vou torcer para que esta declaração de Tarpischev seja um blefe. O fator surpresa nas escalações são comuns. Muda-se a equipe na semana do confronto, muda-se jogador de simples horas antes do sorteio. E pode-se confundir a cabeça do time adversário. Sem Youzhny melhora nossa vida, mas a Rússia tem outras boas peças. Diferente do Uruguai.

Curtinhas:

A entrevista foi reproduzida pelo site em espanhol da Copa Davis http://www.daviscup.com/es/noticias/art%C3%ADculos/tarpishev-con-youzhny-y-davydenko-somos-favoritos.aspx



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo