Quadra rápida, o desafio de Bellucci



Thomaz Bellucci tomou uma decisão corajosa. Evitou disputar a série de três semanas no piso de saibro na Europa, com dois ATP 250 e um ATP 500, para migrar mais cedo à superfície rápida americana que começou nesta semana a série com Atlanta.

O número 1 do Brasil jogará ao todo cinco torneios começando por Los Angeles, passando por Washington, os dois Masters 1000 (Montreal e Cincinnati) e o US Open.
No piso rápido, nas últimas 52 semanas, o brasileiro somou 280 pontos, menos de 25% de seu total (1225). O resto foi na quadra lenta.

Ora bolas. Por que ele vai abidicar de onde tem seu ganha-pão para onde soma pouco ? Bellucci precisa aprimorar seu jogo na quadra rápida que hoje em dia oferece maior quantidade de torneios importantes. Somente nesta superfície temos dois Grand Slams e seis Masters 1000, por exemplo. Outro motivo é chegar o mais preparado e acostumado possível para jogar em Montreal, Cincinnati e o US Open. Em 2010 ele começou a gira somente nos Masters. Pegou rivais já acostumados e não passou da segunda rodada em nenhum deles.

Thomaz tem um bom saque que ainda pode ser melhor utilizado na superfície. Seus golpes de fundo são amplos e no piso rápido a bola quica mais veloz e baixa, dando menor tempo de reação. Logo um encurtamento dos movimentos e um trabalho de movimentação mais veloz no fundo podem trazer frutos para o brasileiro.

Sorteio de Los Angeles – Bellucci foi eleito o 4º favorito e ganhou bye na primeira rodada. Lado positivo é que tem dias a mais de preparação já que estreia apenas na quarta ou quinta-feira. Lado negativo. Pega adversários já com ritmo do torneio e o Bellucci sem ainda ritmo de jogo em quadra rápida não é tão legal.

Seu primeiro adversário será um qualifier ou o colobiano Alejandro Falla. Diria que a vida do brasileiro não é fácil pelos argumentos do paragrafo anterior além de Falla ser um tenista acostumado a este piso – ganhou do brasileiro em Indianápolis 2008.

Passando por este desafio, Thomaz tem boas chances de ir às semis.

 

Mau gosto – Viram a brincadeira que Janko Tipsarevic e Novak Djokovic fizeram com Rafael Nadal ? Mesmo eles sendo reconhecidamente brincalhões isso não foi nada de bom gosto e o espanhol certamente ficará enfurecido. Quem não viu pode olhar aqui!

Curtinhas:

Uma pena a queda de Rogerinho na semi de Manta. Mesmo assim chegará ao melhor ranking entrando no top 130.

João Souza, o Feijão, arriscou e jogará os qualies de Gstaad e Kitzbuhel, ambos no saibro e em cidades com altitude onde o saque faz mais a diferença e essa é uma de suas armas.



MaisRecentes

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo