Que azar! Mas temos chances



Por favor traga uma benzedeira para o time brasileiro da Copa Davis. Dois oito países possíveis eram seis jogando em casa e outros dois com sorteio, ou seja, quase 90% de chances de atuar no Brasil. Mas fomos cair fora de casa contra justamente a Rússia. O local do confronto precisa ser escolhido até o dia 2 de agosto.

O maior problema é que eles vão escolher muito provavelmente um piso rápido e coberto. Eles têm tenistas acostumados a esta condição e a superfície não é nada agradável para qualquer jogador brasileiro.

Os russos já foram um time muito forte até uns dois, três anos atrás com Nikolay Davydenko e Marat Safin em boa fase, mas vem caindo principalmente nesta temporada com a aposentadoria do segundo, e a má fase do primeiro.

O time base da Rússia no último confronto diante da Suécia no Grupo Mundial foi: Dmitry Tursunov, Teymuraz Gabashvili, Igor Andreev e Igor Kunitsyn. Uma equipe bem ganhável. Mas que não contava com Davydenko por lesão.

Mikhail Youzhny anunciou sua aposentadoria da competição no início deste ano. Mas realmente não sei se podemos levar isso muito em conta. Em Davis já vi vários casos do jogador se retirar e voltar para um confronto. Ivan Ljubicic, da Croácia, foi um deles e ajudou o time contra a Sérvia no ano passado.

Com Davydenko, mesmo em fase ruim, os russos se tornam favoritos, mas o Brasil, por meio de Bellucci e o retorno de Ricardo Mello, que gosta do piso rápido, tem uma boa chance para vencer dois jogos de simples. A dupla se torna essencial e é aí onde João Zwetsch terá que quebrar a cabeça novamente. Dependendo da fase que vivem, poderia ser uma boa escolha voltar com Marcelo Melo para jogar com Bruno Soares sendo ligeiramente favoritos diante de provavelmente Tursunov e Kunitsyn.

Em simples, no momento, não vejo outro brasileiro melhor do que Ricardo Mello para as condições que devemos enfrentar.

Será muito duro, mas desejo sorte ao time brasileiro que já bateu na trave nos últimos cinco anos.

Outros duelos. Austrália recebe a Suíça. Confronto interessante. A primeira questão. Será que Federer vai se debandar pra Oceânia logo após jogar o US Open em Nova York ? Difícil. Se o número 3 se submeter a isso os suíços viram favoritos. Caso contrário, será um duelo super equilibrado.

Tchecos são favoritos contra os romenos mesmo fora de casa. Canadá tem boa chance contra Israel fora de casa se Milos Raonic jogar. Croácia leve favorita contra a África do Sul fora de casa. Chile e Itália prometem duelo duro na América do Sul. Japão tem boas chances contra a Índia em casa. Bélgica joga em casa contra a Áustria em duelo onde a dupla pode ser o diferencial pros austríacos.



  • sandy

    A chance do número 2 do Brasil marcar algum ponto é proxima do zero. A Rússia já larga com 2×0.

    • Rafael

      Temos levar uma dupla forte…… Bellucci/Soares e simples seria o Mello e o Bellucci….. teríamos que ganhar os pontos de simples em cima do segundo jogador deles….. no caso Andreev, Kunitsyn ou Tursunov

  • saidecow

    Na minha opinião pode ser uma boa enfrentarmos um time que teoricamente será favorito. Nos últimos anos carregamos essa pressão e deu no que deu. Então, se nossos tenistas entrarem em quadra sem nada a perder, talvez isso se torne um fator psicológico determinante. Falando na prática, Davydenko tá jogando um tênis ridículo, a idade parece que chegou de vez para ele. Igor Andreev é uma incógnita, assim como Gabashivil. Já os outros dois não conheço. Concordo com a formação sugerida Fabrizio, é importante garantirmos o ponto da dupla. Agora é só torcer.. Abraço!

    • Lucas Almeida

      Tursunov é 47º do ranking e especialista em quadra rápida

      Temos que torcer mto, eles com certeza vao escolher quadra dura…

  • César Luiz Pereira da Silva

    Concordo em boa parte do texto. Acho o Melo, apesar de ser alto, tem um saque meio fraco. Gostaria de ver Bellucci/Soares nesse confronto, jogaram muito bem contra o Equador. Eu levaria o Hocevar, que tem um bom saque e gosta da quadra rápida. O time seria Bellucci, Mello, Soares e Hocevar. Outra questão que eu discordo é que o confronto da Suíça seria equilibrado sem Federer, acho que não é por ai, o Federer tem que jogar os 3 jogos para a Suíça ter chance. Tomic e Hewitt devem ganhar do Wawrinka.

  • mauricio weiss

    Que palhaçada! Só temos chances se: 1- Bellucci estiver mto inspirado à lá Madri e estiver na temporada de quadras rápidas; 2 – Youzhny de fato não jogar e o Mello jogar mto pra bater o segundo deles; e/ou 3 – Nossa dupla mandar bem na quadra rápida, o que anda meio difícil. Preferiria pegar a Suíça em casa pelo espetáculo.

  • mauricio weiss

    Correção: Bellucci estiver BEM nas quadras rápidas…

  • pedro

    que pena o brasil tinha muitas chances de jogar em casa.é mais a vida é assim não podemos comemorar antes da hora mas vamos pra cima dos russos na casa deles e vamos voltar pro grupo

    PRA CIMA DELES BRASIL

  • pedro

    que pena o brasil tinha muitas chances de jogar em casa.é mais a vida é assim não podemos comemorar antes da hora mas vamos pra cima dos russos na casa deles e vamos voltar pro grupo mundial

    PRA CIMA DELES BRASIL

  • Altaisio Paim

    Tarefa árdua. Vale a torcida.

  • Felipe Gonçalves

    O Brasil tem tido sorte em vários anos neste confronto da Davis, como contra o Equador dois anos atrás e a Índia no ano passado. Era demais esperar sorte pelo terceiro ano seguido. A chance de o Brasil ganhar da Rússia lá é quase nula.

  • Caraca, que azar. O Brasil pegou um dos países mais fortes para tentar voltar ao grupo mundial do tenis. E o pior, jogará no piso rápido. Vai ser complicado, mas dá pra acreditar em duas vitórias do Bellucci, o Mello pode dar trabalho e o diferencial se dará nas duplas. É observar, até o dia 02 de agosto, como estará a fase da parceria Mello-Soares, se estiverem bem acredito que devam jogar, se não, coloque a mesma dupla do confronto contra o Uruguai.
    Difícil é, mas não impossível!
    EU ACREDITO!

  • Jorge Ramos

    Fala Fabrizio! Realmente não tinha como o sorteio ter sido pior. Uma falta de sorte do c…rsrs mais pelo menos a Rússia não é mais aquela potência da época do Kafernikov e o Safin mesmo ainda tendo um bom time. Na minha opinião teremos apenas uma cartada nesse confronto Thomaz dar uma Guga naquele confronto contra a Espanha em Mérida é ganhar dos seus dois jogos de simples e a nossa dupla ganhar. Thomaz é melhor rankiado que qualquer russo atualmente e nossa dupla é melhor. E ai que eu gostaria de saber a sua opinião. VC ACHA QUE SERIA MELHOR IR COM MARCELO E BRUNO??? Sendo que o desgaste para os simplistas não será tão grande no carpete e não temos tantas opções para simples na rápida como teríamos no saibro. CONCORDA COM A MINHA ANÁLISE? Um abraço e parabéns pelo blog que está cada vez melhor.

  • poderiam levar o Monteiro para ganhar experiencia, Fabrizio o Tiago Fernandes joga bem em piso rápido? se fosse no saibro levava o Feijão

    • biel

      Concordo com o q ele disse,o Mello já não está jogando lá essas coisas o Tiago Fernades tem como o piso favorito a quadra rapida , tanto q foi campeão do Australian Open juvenil, a escalaçao poderia ser essa: Simples—>Bellucci e Tiago Fernandes , Dupla—->Melo/Soares quem sabe até Melo/Sá ou Soares/Sá, Reservas—–>Monteiro e Clezar

      E a sua escalação qual seria Fabrizio??

      • Fabrizio Gallas

        É utopia pensar no Tiago Fernandes no momento. Ele já mostrou em diversos challengers que ainda não está preparado. Precisa ganhar mais jogo e experiência.

        Fernandes só pra uns 2 ou 3 anos.

        Eu iria com o Mello, Bellucci, Melo e Soares.

  • Léo Chagas

    Infelizmente, se consiguirmos um pontinho vai ser da dupla, pois em simples nao vamos ganhar nenhum set.
    eita azar…..

  • Não poderia ser pior, acho que o brasil só tera chances se youzhni não jogar mesmo, só com o Davydenko temos uma pequena chance se o brasil ganhar nas duplas, pois não acredito que o bellucci e o mello vão ganhar dele no piso rapido coberto. se não me engano ano passado o bellucci tomou uma surra do davydenko no pisso rapido coberto e o mello esta muito abaixo do davydenko nao tem a minima chance. o melho será levar bruno soare e marcelo mello para duplas. para ver se garante esse ponto. o resto dos tenistas russos todos são venciveis.agora e torcer.

  • Juliano

    Olha…se nossos atletas fossem um pouco mais comprometidos…até que teríamos uma remota chance. O problema é que os tenistas brasileiros não honram como deveriam a camisa que vestem. Na Austrália por exemplo, o Hewitt, e olha que não gosto dele, que já foi número 1 do mundo, aceitou jogar duplas pela equipe Astraliana, sendo preterido pelo jovem Bernard Tomic, que inclusive já se encrencou com ele em outras oportunidades. Ou seja, mesmo não gostando do Tomic, e mesmo tendo nítia preferência pelas partidas de simples, foi lá e fez o seu papel, acabando por ser escalado para, salvo engano, o último jogo de simples. No Brasil, se isso acontece, o jogador que “acha” que deveria ter sido escalado não faz o seu papel, não defende as cores de seu país, pelo contrário, ele entrega o jogo, não se esforça…e acha que está no seu direito. Só tivemos um Guga…e se continuar assim…jamais teremos algo próximo…

  • Carlos Eduardo Scioli

    Que sorteio lamentável ! Pior cenário impossível !

    Sem Youhzny (o que é provável) e sem Davydenko, há alguma chance, pequena, mas há.

    Tursunov é PLENO FAVORITO contra Bellucci e Mello; Kunitsin é fraco, mas seria favorito contra Mello e Andreev poderia ser o “buraco” do time deles (até por se complicar jogando com canhotos).

    E esqueçam de levar dupla formada! Melo/Soares não confirmam contra ninguém, ainda mais em um jogo tão importante.

  • Rafael Burgos

    Acho que ainda é cedo pra julgar, porque não sabemos como estará a atual fase dos brasileiros daqui a 2 meses nessa temporada do Hard que ainda nem começou. Vamos ver suas atuações no US Open, que com certeza vai ser essencial pra ver as condições dos principais. Pra mim, se o Youzhny for fica bem difícil pro Brasil, se não for, vejo bem equilibrado.

  • Dimitri

    2 anos seguidos pegando babas e acabamos eliminados por Equador e Índia (Quem?)!

    Portanto, tem que meter a cara e jogar a vera.

    Bellucci pode jogar de igual contra qualquer um dos Russos!

    Soares e Bellucci na dupla.

    Qualquer outro tenista como número dois, certamente, o que estiver no melhor nível daqui a dois meses!

    Vamos Brasil.

  • Mani

    Não subestimem o Davydenko. Só porque ele não é mais top 10, não quer dizer que ele é fraco. Como foi dito antes, ele surrou o Bellucci em Paris Bercy 2010 e ainda é top 30 do mundo, com um ranking melhor do que o Bellucci no momento. Ele é o favorito contra qualquer um dos brasileiros em qualquer quadra.

    E o Tursunov está em ascensão de novo e sempre foi jogador de quadra rápida.

    O fato do Youzhny possivelmente não jogar não muda nada. A Rússia é clara favorita nesse duelo e só se der a maior zebra da história da Davis o Brasil ganha esse duelo fora de casa (ou será que alguém aqui acha que a Índia é mais forte do que a Rússia??)

MaisRecentes

Orlandinho Luz, mais um talento se perdendo ?



Continue Lendo

Zverev é mais que uma realidade. Federer deveria jogar Cincinnati ?



Continue Lendo

Qual o limite de Roger Federer ?



Continue Lendo