Federer aqui no Brasil ? Não, Obrigado!



Saiu a lista dos oito países cabeças de chave dos Playoffs do Grupo Mundial em setembro e que enfrentam os outros oito países não-cabeças. Um sorteio será feito nesta quarta-feira para definir os jogos e o Brasil torce para ter um adversário favorável.

Meu post anterior já havia antecipado que a Suíça podia surgir como um dos cabeças e foi o que aconteceu. Entrou como favorita no lugar da Romênia. Além dela temos a República Tcheca, Croácia, Israel, Chile, Áustria, Rússia e Índia.

Das oito possibilidades, contra seis adversários jogaríamos em casa – Suíça, Áustria, Chile, Índia, Croácia e Rep. Tcheca. Diante de russos e israelenses iríamos ainda para sorteio. Ou seja, só tendo azar para jogar fora.

Muita gente quer ter o prazer de ver a Suíça com Federer aqui no Brasil. Confesso que seria muito bom ter o gênio das quadras desfilando seu talento pela primeira vez aqui. Daria um foco enorme pro tênis na mídia por aqui.

Mas por outro lado é o pior cenário para o Brasil jogar em casa. Apesar da nostalgia que proporcionaria, seria muito difícil derrotar Federer e Wawrinka em qualquer superfície ou condição climática. E é preciso pensar no seguinte. O Brasil não joga o Grupo Mundial desde 2003 e foi derrotado nos Playoffs nas últimas cinco temporadas.

Vejamos agora outras situações. Não gostaria de ter a República Tcheca aqui em casa também. Tomas Berdych e Radek Stepanek são excelentes tenistas mesmo que Bellucci já tenha superado o primeiro em duas oportunidades.

A Rússia tanto dentro quanto fora não é legal. Mikhail Youzhny e mesmo um Nikolay Davydenko em fase ruim são indigestos em qualquer superfície.

A Croácia tem Marin Cilic e talvez Ivan Ljubicic (este havia se aposentado da Copa Davis, mas jogou no ano passado contra a Sérvia), dois ótimos tenistas, mas que não são tudo isso na superfície lenta. Seria um pouco melhor que os tchecos, por exemplo.

A Áustria seria um duelo bem parelho a ser decidido muito provavelmente nas duplas. Eles têm Jurgen Melzer e uma boa dupla dele com Julian Knowle. O número 2 de simples deles é bem acessível aos brasileiros.

O Chile se torna uma boa opção. Fernando Gonzalez vem evoluindo, mas não é aquele tenistaque era temido até o ano passado. Nicolas Massu está decadente e os jogadores brasileiros tem qualidade para bater Paul Capdeville. Nossa dupla também é melhor que a deles.

Mas o melhor sorteio seria com a Índia ou Israel aqui no Brasil. Eles não são legais no piso lento. Os israelenses na casa deles, provavelmente no piso rápido, não é de todo mal. Seria parecido com que enfrentamos em setembro passado. Um time com um simplista top 100 mediano, uma ótima dupla e o segundo simplista fraco.

As opções estão aí. Agora você, caro leitor, pode opinar!





  • Bruno

    Eu quero Federer aqui sim! Nem que seja pra ver o Brasil perder!
    Ver o Belluci jogar aqui a gente vai poder inúmeras vezes. E o suíço? Nesse paísinho que não tem um torneio ATP decente, somando-se a possível aposentadoria do Fedex nos próximos dois anos…. it’s now or never!!!

    • JR

      TA ACHANDO QUE É UM PAISINHO, VAI EMBORA DAQUI MANÉ!

  • mauricio weiss

    Concordo, tenho dúvidas do que seria mais difícil, Rússia fora ou Suíça em casa, seríamos zebra em ambas. Mas eu penso, será mesmo que o Federer viria ao Brasil jogar no saibro, num baita calor, em tempos de quadra rápida?
    Em seguida a Rep. Checa é a única que me mete medo, mas é vencível jogando no saibro e no calor. De resto temos chances jogando em casa, e mesmo fora não teríamos problemas maiores com Israel.

    • Fabrizio Gallas

      Mauricio,

      Pois é, depende de uma série de fatores. Primeiro o desempenho dele no US Open, depois a vontade de jogar a Copa Davis…

  • Bernardo Santarem

    Fabrizio,

    Ouvi ou li que o Youzhny e o Davydenko se aposentaram da Davis e anunciaram isso no inicio do ano antes do confronto com a Suécia !

    Acho que nao temos chances contra Suiça ou Rep. Tcheca ! Mas qualquer outro, temos condições de ganhar !!!

    Vamos Brasil !

  • REALMENTE, SUIÇA NÃO E A MELHOR ESCOLHA, O MELHOR MESMO SERIA ISRAEL, MAS UMA VINGANÇA COM A INDIA SERIA MELHOR AINDA.TEM QUE GANHAR DE 5 X 0 DESSE TIME FRACO DA INDIA.

  • Dênis

    O legal seria enfrentar a Suiça aqui no Brasil, ver o Federer aqui não tem preço, derrotamos o Wawrinka nos dois jogos dele de simples e ganhamos na dupla kkk 3 a 2 para o Brasil…..

  • Armando

    Nostalgia?????
    O que vc quis dizer com esse termo, Fabrício?

    • Fabrizio Gallas

      Vai ser um delírio poder ver o Federer jogar aqui perto, sensacional. Mas não é bom pro time.

      • Julio

        É Fabrizio, ta errado.

        Significado de Nostalgia

        s.f. Melancolia, tristeza causada pela saudade de sua terra.
        Saudade do passado, de um lugar etc.

        • Fabrizio Gallas

          Estou não. Saudade de ver alguém tão bom jogar no Brasil como tínhamos na época do Guga 🙂

  • Fabrizio, com Federer e Wawrinka seria difícil vencermos.

    Porém, é claro, ter Fed aqui seria sensacional. O cara é um gênio, talvez o maior de todos – o maior que vi, aliás. Porém, se por um lado gosto da ideia, meu lado brasileiro, de fato, não se acostuma.

    Você se sente do mesmo jeito, não é?

    Abrááço!

  • Marcelo Dias

    Se der Suíça, serei o primeiro a comprar os ingressos, nem que os jogos sejam na Floresta Amazônica! hahaha Brincadeiras à parte, acho mesmo que o melhor é a Suíça, até porque, mesmo com muitas das outras opções, temos grandes chances de perder… então vamos ao menos nos divertir e colocar nosso esporte com mais ênfase na mídia! Grande abraço!

  • Onde seria o local do jogo do Brasil, contra a Suíça, por exemplo?

    Responde aí, Fabrizio!

    • Fabrizio Gallas

      Não sei. Em qualquer lugar ou superfície a Suíça seria a favorita com o Federer.

  • Rafael

    Acho que o Federer sofreria bastante no saibro contra o Bellucci(que é canhoto)

    • Fabrizio Gallas

      Bellucci é um pouco engessado. Federer daria slices e o brasileiro ia se enrolar. Se o Federer ficar na troca pesada de fundo o brasileiro ia ter alguma chance.

  • Mario Saboia

    Deixa de ser ridículo !!!
    Não vai adiantar em nada essa fobia aos jogadores melhores.
    Temos que enfrentar qualquer adversário de igual para igual.
    Desse jeito você rebaixa o Brasil. Tenho certeza que é uma honra para
    qualquer jogador Brasileiro enfrentar Roger Federer.
    Aliás no tênis tudo é possível, nenhum jogo é 100% previsível…
    Estou torcendo para a vinda do Suíço em nosso País.

    • Fabrizio Gallas

      Honra é, de fato. E não é rebaixamento. Vai perguntar pro capitão brasileiro se ele vai ficar feliz enfrentando o Federer. Certamente ele prefere outro adversário.

      A mesma coisa acontece com o circuito inteiro hoje quando vai enfrentar Nadal, Djokovic e Federer. Dá pra jogar de igual pra igual, sem dúvida, mas ninguém quer enfrentá-los.

  • Fernando Miranda

    Ver Federer jogar aqui no Brasil seria sensacional, até porque agora o tênis dele não deve mais subir de qualidade e ele não tem mais muitos anos de carreira.

    E mudando um pouco de assunto,
    Eu fui o ganhador daquela raquete que voce sorteou, e mandei um e-mail dia 09/07 para webmaster@tenisnews.com.br, se voce pudesse responder o dia que voce vai enviar seria ótimo.

    • Fabrizio Gallas

      Te aviso por email quando enviar. Abs!

  • guilherme

    vem federer!!!!! a questao é seguinte pra que ir pra um lugar onde nao tem chance de ser campeao??? quero federer aqui, porque acima de tudo é aquele q eu paro pra ver jogar… AJude sorteio…

    • Julio

      Mandou bem!

      É isso aí.

      Não adianta a gente torcer pro Brasil pegar alguém fácil pra conseguir entrar no grupo mundial, se quando o Brasil entrar vai pegar uns caras difíceis.

      O melhor é a gente torcer por um bom tênis. Um tênis bonito, bem jogado, seja com quem for.
      Especialmente, se for com o Federer, aqui e agora!

      • Fabrizio Gallas

        Acho que os jogadores não vão concordar com você. Tanto eles como eu preferem pegar, por exemplo, uma Suíça no Grupo Mundial. Vamos acabar com esse carma de ficar fora da elite por tanto tempo.

  • biel

    Pq tanto medo da rep. tcheca Radek Stepanek , seria (num dia bom de Bellucci) derrotado facilmente , a msma coisa para o berdych q o Bellucci já ganhaou esse ano e o saibro nao é a condiçao favorita de nenhum dos 2. nas duplas eu assisti o jogo do Bellucci/Soares vs Cuevas/Felder e achei q aquela dupla seria até melhor q Melo/Soares.Contra Suiça eu já tenho um pouco de receio mas msmo assim no saibro , com o Wawrinka em uma fase ruim e o Federer após um Us open NÃO muito bom será q o Brasil não seria favorito??
    Eu acho q com tds esses paises o brasil tem chance, mas eu quero que o Brasil pegasse a India ,pra dar o troco do ano passado.
    E caso o Brasil jogue em casa será a onde ?

  • Altaisio Paim

    Bom dia Fabrízio!
    Por que o Brasil enfrentaria a Suíça dentro de casa?
    Perdoi-me, mas não entendi!
    Um abraço.

    • Fabrizio Gallas

      Por que o último duelo entre os dois países foi na Suíça. As sedes são alternadas.

  • Altaisio Paim

    Fabrizio, quais as chances de Bellucci contra o Federer?
    A torcida ficaria dividida?
    O que vc acha?
    Abraço.

    • Fabrizio Gallas

      Remotas.

  • Felipe Gonçalves

    Eu torço muito mais pelo Federer do que pelo Brasil, então, gostaria de ver um confronto com a Suíça. Contudo, o Federer deu a entender que não viajaria para muito longe na repescagem. Então, acho que não corremos este perigo. O que é uma pena.

  • Nastrabi

    Muda esse titulo lamentavel e contraditorio do seu blog…federer no brasil,sim obrigado!!!!!!

    • Raul

      Concordo plenamente, e até tenho otra sugestão: Federer no Brasil, seria a confirmação que Deus é brasileiro.

MaisRecentes

Federer pode sonhar com o Nº 1



Continue Lendo

Murray segue perdendo chances



Continue Lendo

A insana chave de Indian Wells



Continue Lendo