Rogerinho mandou bem. Argentina x Sérvia. Federer trabalhou mais



O primeiro dia de Brasil x Uruguai foi bem frio, assim como o clima de Montevidéu. Ainda bem que a nosso favor. Placar de 2 a 0 com duas vitórias tranquilas salve uma viajada e deslize de Thomaz Bellucci no 3º set.

A ausência de Pablo Cuevas facilitou muito a nossa vida, mas preciso destacar Rogério Dutra Silva. Não tremeu na base, algo que seria normal em uma estreia de Copa Davis, e mostrou personalidade. Comandou o jogo com seu forehand, aplicou boas esquerdas e dominou Marcel Felder. Mostra que é uma opção para confrontos no piso de saibro.

Neste sábado as duplas. Com o confronto 2 a 0 o outro estreante, João Souza, o Feijão, ganha tranquilidade para atuar ao lado do experiente Bruno Soares. Não seria surpresa de Zwetsch colocasse Bellucci no lugar de Feijão já que Thomaz teve um jogo rápido, mas pensando em futuros confrontos, é bom que João Souza jogue.

Ainda se tem a expectativa de ver Pablo nas duplas. Com o placar dilatado pro Brasil acho difícil o uruguaio, lesionado no joelho, arriscar. Mas mesmo que ele entre, todo o cuidado é pouco. O cara ganhou Roland Garros em 2008 ao lado de Luis Horna.

Sobre os outros confrontos. Argentina 3 a 0 com muita facilidade e Sérvia 2 a 0 com algum sufoco no primeiro jogo. Novak Djokovic optou pelo descanso (fez o certo) e provavelmente só vai passear em Halmstad, afinal ele merece não é ?

Não é arrogância, mas o time da Suécia é bem fraco. Apenas a dupla pode evitar um placar vergonhoso. Seus jogadores de simples estão todos abaixo do top 20. Logo, temos 90% de chances, salve uma zebra enorme, de ver Sérvia x Argentina, provavelmente em Belgrado, na semifinal em setembro. Duelo que, se tiver os melhores, seria incrível. Del Potro, Nalbandian, Djokovic.

Richard Gasquet fez o que parecia impossível. Salvou match-point e venceu após estar perdendo por 2 sets a 0 contra Florian Mayer. Vitória crucial para os franceses no saibro de Stuttgart contra a Alemanha. Os atuais vice-campeões estão com o pé na semifinal, mas não podem descuidar já que a Alemanha tem boa dupla e tenistas de simples que podem reverter no domingo.

Sobre EUA x Espanha. O time da Espanha é muito aguerrido e aprovetou bem as oportunidades que teve com Ferrer e Lopez para fazer 2 a 0.  A fase de Roddick é ruim se comparado com os últimos oito, nove anos de sua carreira. Seu jogo está muito passivo no fundo e até beira uma apatia em certos momentos. A confiança está lá embaixo. Desperdiçou sete set-points contra Ferrer e levou um até surpreendente 3 sets a 0. Mas o time americano não tem opção de mudança  e pode ter esperança pois a dupla é super favorita. Não seria nenhuma catastrofe – para a Espanha – uma virada, mas Fish e Roddick precisariam ser mais decisivos.

Acompanhei o jogo do Federer hoje. Normalmente em uma Davis o tenista que faz o 2º jogo vai pro aqeucimento no meio pro fim do jogo anterior. Roger estava lá sentado apoiando Wawrinka até o fim. Boa atitude, mas que custou um set pra ele. Entrou frio em quadra, cometendo erros e dando margem pro regular estilo de Rui Machado. De qualquer forma teremos mais Federer em setembro pros Playoffs. Tomara!



  • Fabrizio, o que realmente aconteceu no jogo do bellucci hoje quando houve aquela confusão com um torcedor?

    • Fabrizio Gallas

      Bellucci esfriou e caiu de produção.

      Um torcedor, pai do Feijão, discutiu com alguns uruguaios e o capitão uruguaio se incomodou e queria tirá-lo de quadra.

  • Mas com todo arsenal de jogadas que tem o Federer é óbvio que três sets não são suficientes. Assim, de alguma forma, sempre poderemos ser brindados com uma daquelas suas jogadas características. Falar nisso, vê-lo-ei brevemente em Montréal, na Copa Rogers. heheheheehe

    • Fabrizio Gallas

      Eheheeh sorte sua!

MaisRecentes

Orlandinho Luz, mais um talento se perdendo ?



Continue Lendo

Zverev é mais que uma realidade. Federer deveria jogar Cincinnati ?



Continue Lendo

Qual o limite de Roger Federer ?



Continue Lendo