Djokovic ESPETACULAR. O tênis está bem servido!



Novak Djokovic coroa o topo conquistando Wimbledon em uma temporada ESPETACULAR. Assim mesmo. Letras garrafais. Oito títulos, dois Grand Slams, quatro Masters 1000, 48 vitórias em 49 jogos. Cinco vitórias sobre o agora número 2 do mundo, Rafael Nadal, três vitórias sobre Roger Federer, duas sobre Andy Murray e por aí vai.

Se não existisse Rafael Nadal, Roger Federer já teria somado pelo menos uns 20 Grand Slams. Agora a tendência é: se não existisse Novak Djokovic, Nadal já teria 11 Grand Slams, 21 Masters 1000 e siga contando.

É uma tendência baseada numa frase verdadeira que o comentarista Dácio Campos usou na transmissão na final de hoje no Sportv: “Novak Djokovioc faz com o Nadal, o que o Nadal faz com Roger Federer”.

É no piso rápido, é no habitat natural do espanhol, o saibro, e agora na grama. O jogo de Djokovic definitivamente se encaixa com o de Nadal.

Os fãs do espanhol devem se questionar. Por que tudo isso de um ano pro outro. A resposta é simples. Trabalho, trabalho, trabalho. Djokovic alcançou uma agilidade e regularidade tamanha que consegue fazer tudo o que Nadal faz, só que ainda melhor, e tem a chave de conseguir pegar a bola cedo, na subida, diminuindo o tempo de reação do espanhol. Some aí a tática de explorar o revés do espanhol, 10x mais vulnerável do que o sérvio.

Nadal acusou, tanto no 1º quanto no 4º set, a pressão que sente quando enfrenta o Novo Djokovic de 2011. Vinha fazendo uma ótima partida, bem sólido no saque e agressivo, mas no 4/5 o serviço diminuiu a velocidade e os erros apareceram. Situação parecida com o final da partida.

O encanto de Djokovic persiste e a tendência é que dure bastante (para o desgosto dos adversários) enquanto estiver focado, trabalhando duro como está e sendo inteligente na produção de seu calendário.

Só tenho a certeza que Nole é mais um exemplo de que aliar o talento à muita dedicação, faz a diferença. Quem agradece é o tênis.Estamos bem servidos com Djoko, Nadal e Roger Federer.

Curtinhas:

Situação da ATP. Djokovic terá 13285 pontos. Rafael Nadal 11270. Federer 9230. Bellucci será o 34º.

Nadal deve lamentar profundamente. Sua temporada só não é incrível por culpa do Nole. E somente uma arrancada destas do sérvio para tirá-lo do topo.

No feminino uma nova campeã. Petra Kvitova não sentiu tanto a pressão e com autoridade desbancou Maria Sharapova. Campeã merecida e com pinta de que não vai parar por aí.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo