Sublime! Federer tem a chance de realizar o único feito que lhe falta



Para Roger Federer poder se aposentar tranquilo, sem nenhuma lacuna em sua carreira só falta uma vitória sobre Rafael Nadal na final de Roland Garros.

Apesar de ter ganho em 2009, Federer sempre ficou com o espanhol entalado na garganta pois teve quatro outras chances de vencer o torneio e sempre parou nele. Sendo destas, três finais seguidas, entre 2006 e 2008. Logo, o gostinho de vencer Paris terá muito mais sabor se ganhar do Rei do Saibro no quintal da casa dele.

Esta aí a maior chance da vida do suíço, a partir deste domingo, às 10h, horário de Brasília.

Nunca vi Federer tão aguerrido como hoje na partida contra Novak Djokovic. O suíço esteve com muita fibra, vibrando a cada ponto, lutando, correndo muito atrás de cada bola e não deixando de fazer seu jogo agressivo no fundo, com variação, ataques, bons saques e o principal – criando inúmeras chances, convertendo e e safando de momentos perigosos.

Roger Federer esteve SUBLIME na tarde desta sexta-feira e a partida contra o sérvio foi SENSACIONAL durante 70 a 80% (116 winners contra 87 erros não-forçados, isso resume não é ?). Não dava para desgrudar da televisão tanto no primeiro como principalmente no quarto set.

Federer teve uma queda mental no 4/4 do 4º set e parecia que teríamos aquele anti-clímax do adiamento do encontro pro sábado pela falta de luz natural, mas o suíço resgatou o seu melhor para jogar um game brilhante no 4/5 e salvar dois breaks no 5/5.

Djokovic fez uma ótima partida, apenas com uma queda mental na segunda etapa e estava jogando no padrão Nole dos últimos seis meses na quarta etapa. Acredito que influenciou muito mais o nível de Federer, mas sem dúvida a pressão de vencer este jogo para ser o número 1 do mundo pesou um pouco na cabeça do sérvio.

De qualquer o suíço será o fiel da balança. Ele tirou a chance de Nole ir para o Topo hoje, mas pode colocá-lo lá dentro de dois dias, se for o campeão. Curioso não ?

Federer x Nadal. Não dou favoritismo a ninguém pois é um clássico e tanto um quanto o outro tem vantagens em alguns aspectos. Vejamos quais:

Federer está jogando de forma divina e eleva às nuvens sua confiança ao quebrar com a série do até então imbatível Nole. A bola mais dura e rápida se adapta melhor ao seu estilo ofensivo e serviço potente dando um pouco menos tempo de reação ao espanhol.

Em contrapartida, Nadal também ganhou enorme confiança ao bater Robin Soderling e Andy Murray ambos em três sets. O duelo contra o britânico não foi tão bonito como Federer x Djokovic, mas teve várias situações complicadas e o espanhol se deu bem na maioria delas.

Federer joga este Grand Slam com menos pressão por não estar sendo cotado como o principal favorito e chega também na decisão com este rótulo pois Nadal o ganhou seguidamente em Paris.

Todavia, Rafa tem o jogo que mais incomoda Federer com bolas altas em sua esquerda, saque aberto slice na vantagem.

Federer precisará entrar com o mesmo espírito de hoje no domingo e até com mais paciência do que teve para não se apressar nas trocas e até vir à rede com mais frequência, chamar o espanhol pro quadradinho. Vimos nesta sexta que o espanhol se enrolou em 90% das vezes que Murray aplicou curtinhas;

A final tem tudo para ser um grande jogo, mais uma batalha inesquecível. Imperdível!

Vou dar um palpite. Apenas um palpite, um feeling. Acho que dá Federer.Você, caro leitor, arrisca algo ?

Curtinhas:

Muito legal a atitude da ESPN em colocar Marcos Daniel comentando o jogo. Muito bom ter alguém que já enfrentou Federer e Nadal há pouco tempo falando dos jogos deles. Daniel começou um pouco preso, mas foi se soltando e detalhando momentos do jogo. Como é uma pessoa que se comunica bem, Marquito pode ter futuro no ramo. Gostei!

 



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo