Soderling tem tudo para repetir a zebra. E Monfils apronta ?



Não devemos nunca menosprezar tenistas como Roger Federer e Rafael Nadal pelo que fizeram nos últimos anos e pela capacidade técnica, tática e de vontade. Mas a constatação a se fazer, por tudo que aconteceu até aqui em Roland Garros, é de que Robin Soderling tem tudo para seguir sua mística e derrotar o número 1 do mundo pela terceira vez seguida (Federer em 2010, Nadal em 2009).

O líder está com a confiança abalada como disse o croata Ivan Ljubicic e o próprio admitiu que “não está jogando bem para vencer o torneio” em coletiva após a vitória de 7/5 6/3 6/3 diante do mesmo tenista.

Vamos aos pontos. Nadal está muito irregular. Consegue jogar games como o verdadeiro Nadal que conhecemos e outros ruins cometendo seguidos erros ou com bolas curtas. Diante dos tenistas que ele enfrentou agora, foi capaz de escapar com alguns arranhões, mas o nórdico, com sua bola pesada no fundo, vai montar nas curtas, nos erros e usar seu bom saque para dar poucas chances ao espanhol.

Eu diria que Nadal tem que melhorar umas 3x seu padrão de consistência e bolas profundas que mostrou até agora para fazer Robin não ter toda aquela confiança que vem tendo para disparar seus golpes firmes.

No ano passado Nadal conseguiu isto, jogou um excelente tênis e aproveitou-se que Soderling sentiu novamente o fator de jogar uma final de Grand Slam. Agora o jogo não é uma decisão e sim quartas de final.

Se tivesse que dar um palpite arriscaria no sueco em quatro sets. Dificilmente um vai varrer o outro de quadra. Nadal, mesmo jogando mal como vem fazendo, vai lutar muito e vender caro.

Federer x Monfils – Gael gosta mesmo de jogar em casa e usa muito bem a torcida. Tem tudo pra fazer um duelo parelho e empolgante com o suíço que terá provavelmente seu teste mais duro até aqui contra um tenista que sabe cadenciar o ritmo e corre bastante. Não será fácil, mas Roger avança.

Muitos questionam se foi bom pro Djokovic ganhar esta folga até sexta-feira com o abandono do Fognini pela falta de ritmo após cinco dias sem jogar. Eu fico com a resposta de Nadal. “Sem ritmo ? Ele ganhou 40 jogos este ano, como pode ficar sem ritmo ?”.

E o sérvio está a uma vitória do merecido Número 1.

No feminino a disputa segue bem aberta e Sharapova joga com uma agressividade e consistência que a coloca como favorita ao lado de Victoria Azarenka. Mas repito. Tudo muito aberto.

 



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo