Melhor para Nadal e Murray. Bellucci pode fazer 8ªs



Saiu o esperado sorteio da chave de Roland Garros que começa neste domingo em Paris. Jogos muito interessantes na primeira rodada com um ótimo início para Andy Murray e no geral uma chave boa para Rafael Nadal. Nem tanto para Novak Djokovic e Roger Federer.

O britânico tem as duas primeiras rodadas contra qualifier e só começa a se enrolar na terceira com Milos Raonic, depois Aleksandr Dolgopolov. Tenistas do qual se esperava mais, mas que se jogarem seu melhor podem incomodar.

Bolas mais rápidas – Pelo lado de Nadal uma primeira rodada chata. Pegar um grandalhão John Isner em um Grand Slam onde se tem a pressão de defender o título requer muita atenção. Atenção redobrada para o espanhol também pois as bolas do torneio mudaram – para a marca Babolat – e ficaram mais rápidas de acordo com os tenistas. Vantagem para os sacadores.

Obviamente só se um meteoro cair na Terra ou alguém colocar algo na comida do espanhol para perder este jogo ainda mais com o Isner sem estar tão confiante. Mas é bom a atenção para evitar jogar uma partida de quatro sets logo de cara.

Nadal pode ter Nikolay Davydenko na terceira fase. Talvez o russo nem chegue lá por falta de confiança, mas se chegar ele costuma enrolar a vida de Rafa. Pras quartas de final Robin Soderling, que não está tão confiante, sofre com problemas no pé.

Pelo que jogou Nadal nos outros torneios aponto ele como favorito pra chegar à final.

No outro lado, Federer encara o também corta físico Feliciano Lopez. Alguém se lembra do que ocorreu no último jogo entre eles não é ? Madri tem outras condições, com altura, é mais rápido, mas o espanhol é sempre perigoso.

Djokovic também pode ter vida dura com Juan Del Potro na terceira rodada. Resta primeiro saber se o argentino chegará nesta fase. Suas condições de jogo não são as ideais, mas se conseguir as vitórias sem danos, pode dar uma canseira no invicto sérvio.

Curiosa declaração de Federer após o sorteio: “Aliviado por fugir do Nadal, o recorde dele aqui é incrível”. O suíço pode enfrentar nada mais nada menos que o Nole na semi com o qual perdeu os três jogos este ano. Está aí a chance de uma revanche.

E o Bellucci ? Duas primeiras rodadas que requerem cuidado. Golubev não é bobo, derrotou Tomas Berdych este ano e mesmo em má fase pode aprontar. Não é top 50 por acaso. E o Andreas Seppi já o venceu em Hamburgo ano passado, partida que eu julgo ter iniciado a má fase de Thomaz que perdurou até meados deste ano. Na terceira fase vejo com bons olhos duelo contra Richard Gasquet. O francês não costuma ir bem em casa. Tem condições de ir às 8ªs e ter  repeteco do duelo contra Djokovic.

Mas julgo que pro Bellucci o mais perigoso são as duas primeiras rodadas pois o favoritismo bate a a pressão de defender 180 pontos também.

Na chave feminina impressionante como Caroline Wozniacki não tem favoritismo de ninguém – aliás achei um erro ir para Bruxelas. Quem quer ganhar um Slam não joga na semana anterior. Cansa sem necessidade. Kim Clijsters que não joga há quase dois meses ganhou o status por Maria Sharapova. Não vejo assim. Acho quea belga vai sofrer com a falta de ritmo e não é tão boa no saibro. Veremos.

Curtinhas:

Uma pena. Sem brasileiros passando o qualificatório. João Souza, o Feijão, tinha boas chances, mas não jogou bem na segunda rodada. Rogerinho levou uma virada.

No juvenil estamos bem servidos. João Pedro Sorgi está na semi batendo top 8 no torneio de Grau A na Itália (um dos 9 maiores do mundo) e Thiago Monteiro ganhou de um top 6 e caiu nas 4ªs em jogo duro para o vice-líder. Temos três entre o top 15 (Bruno Sant´anna é o outro) e boas perspectivas pro futuro.



MaisRecentes

Nadal de outro planeta. O Adeus da Rainha Maria Esther Bueno



Continue Lendo

Pode Zverev segurar Thiem ? Djokovic comendo pelas beiradas



Continue Lendo

Nadal com caminho mais aberto. Bellucci regrediu



Continue Lendo