A Vitória! Atuação de Top 10



Muito Obrigado, Bellucci! Fez tudo que deveria fazer e está aí o resultado. UMA BAITA VITÓRIA, A VITÓRIA DA CARREIRA até aqui. Atuação perfeita na parte técnica, tática e mental. Bellucci jogou com nível de Top 10.

Foi bem no saque, agressivo e ao mesmo tempo consistente da linha de base e perfeito nos momentos chave. Segurou a cabeça para não ser quebrado e aproveitou todas as três chances de quebra que teve.

Murray não jogou mal, mas também não fez seu melhor. Não por seus deméritos e sim pela alta confiança de Thomaz que pouco deixou o britânico jogar. De qualquer forma, faltou a Murray atacar antes do brasileiro.

Bellucci pela primeira vez está nas quartas de final de um Masters 1000 e agora é hora de evitar uma comemoração pois amanhã de manhã tem mais. E outra pedreira, o tcheco Tomas Berdych, sétimo do mundo, um estilo totalmente diferente, mas que se Thomaz manter nível parecido com o de hoje pode ir à semifinal.

O grande problema de Bellucci e pelo qual os críticos – como eu – batemos na tecla, é a inconstância exagerada do brasileiro. Consegue jogar sets e games como fez o tempo todo de hoje e ao mesmo tempo joga parecendo um juvenil.

Se o brasileiro conseguer manter este alto nível com mais regularidade, os resultados vão aparecer com mais frequência e o ranking tomará um elevador rumo ao top 20.

Situação no ranking – A vitória de hoje coloca Bellucci no 31º lugar da ATP, voltando ao grupo dos 32 cabeças para Roland Garros. Se passar por Tomas Berdych sdoma ao todo 360 pontos e ficará em 21º, igualando sua melhor posição. Jogo muito valioso este desta sexta-feira.

Anote aí – Melhores resultados de Bellucci são no piso de saibro rápido e com altitude. Ele foi campeão em Santiago (600m), Gstaad (mais de 1 mil metros) e agora encaixa esta vitória em Madri (600m). Não é coincidência. A altitude faz a bola viajar mais veloz e isso ajuda no saque e potência dos golpes do brasileiro.

Por que ele não vai tão bem no piso duro ? Pois dá menos tempo de recuperação pros seus golpes amplos, principalmente no forehand.



MaisRecentes

O legado Andy Murray



Continue Lendo

Federer começa animador em 2019. E não podemos dispensar Djokovic



Continue Lendo

O ano abaixo da crítica do tênis brasileiro 



Continue Lendo