Madri pode dar início à caminhada de Djokovic ao topo



O ranking de hije acendeu o Sinal Amarelo de preocupação para Rafael Nadal que o lidera há 48 semanas de forma absoluta. Novak Djokovic está a apenas 2,2 mil pontos (equivalente a um Grand Slam) de concretizar o seu sonho e ser o Nº 1.

O alerta pode seguir subindo nesta semana que é disputado o Masters 1000 de Madri, torneio mais perigoso para a soberania de Rafael Nadal pela velocidade do jogo mais acentuada por conta da altitude de 600 metros.

A chave do espanhol não é nada fácil com possível duelo diante de Juan Martin Del Potro nas oitavas – o argentino ex-top 4 acaba de ser campeão em Estoril batendo Fernando Verdasco e Robin Soderling – e o sempre perigoso Roger Federer na semi. Qualquer tropeço e a manutenção da boa fase de Djokovic pode abreviar a mudança do líder quer era esperada para depois de Wimbledon.

Mesmo sem ter batido um Top 35, Djokovic foi bem no aquecimento no pó de tijolo, faturou Belgrado, chega confiante para o torneio espanhol, mas não pode se descuidar. Assim como Nadal não terá vida fácil. David Ferrer, que fez finais em Monte Carlo e Roma, é a pedra para desbravar nas 4ªs de Final.

Não podemos deixar o Andy Murray de lado. O escocês foi bem em Monte Carlo e está no caminho de Djokovic.

E você leitor. Acredita que Djokovic pode destronar Nadal no saibro e assumir o topo antes mesmo de Roland Garros ?

Curtinhas:

Bellucci enfrenta um convidado na 1ª rodada nesta terça-feira. Moleza ? Que nada. Pablo Andujar vem obtendo resultados mais sólidos no piso lento e conquistou Casablanca (Marrocos)  recentemente. Em Roland Garros o espanhol levou o brazuca a cinco sets. De qualquer forma a chave de Bellucci poderia ter sido pior já que na segunda fase pegaria o cabeça 16, Viktor Troicki, que é mediano no piso lento, ou o alemão Florian Mayer, nenhum bicho-papão.

 



MaisRecentes

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo

Emoções no US Open



Continue Lendo