Bellucci – Sem paciência dentro e fora das quadras



Como afirmei no meu post anterior a grande pedra no caminho de Bellucci era Gilles Simon. Portanto, o resultado não é nenhuma zebra e tampouco desesperador. O jogo não encaixa. E foi provado isto na manhã desta terça-feira em Monte Carlo. Mesmo não tendo resultados tão expressivos nos últimos anos na superfície, ele conseguiu enrolar bem o brasileiro com seus contra-ataques e regularidade do fundo.

O que não foi legal foi tamanha impaciência do brasileiro. Cometeu 41 erros (número extremamente alto pra 17 games jogados) e ainda não converteu as oportunidades que teve, perdendo algumas delas com erro na devolução de segundo serviço.

Demissão do Preparador Físico – Bellucci demitiu o preparador físico, Cassiano Costa, como revelou matéria publicada em minha coluna do jornal LANCE! desta terça-feira e no site Tênis News (LEIA NOTÍCIA).

Os motivos foram o desgaste de relacionamento do jogador com o preparador aliado com a opção de Thomaz utilizar a equipe do Instituto de Larri Passos no Brasil. No momento Bellucci viajará nos torneios sem ninguém o acompanhando na parte física.

Hoje em dia não é legal para um tenista viajar sem preparador, principalmente se você é um top, joga os principais torneios e tem condições de ter um profissional deste ramo gabaritado viajando com você.

Inegável que a parte física de Thomaz foi um problema até meses atrás, mas dava sinais de melhoras nestes primeiros meses do ano com o paulista aguentando mais seus jogos longos.

O que não me agrada, e que já venho falando há meses, é que Bellucci mostra certa impaciência também fora das quadras. Seu histórico de mudanças de treinador e na equipe é extenso. Indepentemente dos motivos pelos rompimentos e da busca pela melhora, que certamente é o que ele deseja, trocar toda hora nem sempre é saudável.

Larri Passos é o seu 4º técnico desde 2007 (Leandro Afini, Leonardo Azevedo e João Zwetsch foram os anteriores). E agora o espaço está para ser preenchido com um novo preparador físico, o terceiro em dois anos. Rodrigo Gomes até julho de 2009 e Cassiano Costa de setembro do mesmo ano até abril de 2011.

Tomara que esta mudança de curso seja para melhor.

Curtinhas:

Explosão no hotel dos jogadores no challenger de Blumenau na tubulação de gás. Parte da recepção foi destruída e os tenistas tiveram que evacuar o hotel às pressas às 6h da manhã. A princípio ninguém ficou ferido, foi só um susto, mas será uma enorme dor de cabeça para todos eles principalmente para a maioria que estreia hoje.

O estresse causado por certo evento é enorme.




MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo