Simon é o problema. Depois pode dar samba



Vejo Gilles Simon como o maior problema na chave de Thomaz Bellucci em Monte Carlo. O francês tem um jogo que incomoda o brasileiro. Se defende bem de tenistas agressivos e contra-ataca com firmeza. É preciso bastante paciência – um dos problemas de Bellucci – e bom serviço para bater o rival.

No US Open em 2009 pudemos constatar o quão Simon incomoda Bellucci. O paulista não viu a cor da bola, mas o tenista galo vivia sua melhor fase da carreira e no saibro não tem bons resultados desde 2008, o que pode ser um bom prenúncio ao brazuca.

Se avançar, Thomaz tem ótimas chances de fazer a melhor campanha Masters 1000 da vida. Albert Montañes é bom no saibro, mas é pior do que canhoto nacional. E vejo o brasileiro entrando com ótimas possibilidades caso enfrente Andy Murray, Radek Stepanek ou Marcos Baghdatis nas 8ªs.

O que me incomoda é ver Bellucci desperdiçando tantas chances quando vê chaves teoricamente mais fáceis pela frente. Mas isso é assunto para se discutir dentro de alguns dias. Primeiro é preciso tirar uma pedra francesa do caminho.

Sem Djokovic e Soderling a chave do Masters de Monte Carlo está à feição de Rafael Nadal para o heptacampeonato. Seu favoritismo é grande para pelo menos chegar na final. Tomas Berdych pode incomodar um pouco – isto se chegar ao confronto prometido das quartas de final. Do outro lado, Federer precisa ter atenção caso enfrente Kohlschreiber. Passando, pode ir tranquilamente pelo menos à semi onde deve ter um confronto interessante contra David Ferrer.

No mais aposto que o número 1 e 3 do mundo farão mais uma final no Principado de Mônaco. E você ? Concorda ?

Curtinhas:

Marcos Daniel está de volta no challenger de Blumenau que começa nesta segunda-feira. Não espero uma boa campanha dele logo de cara. A lesão no joelho foi séria e o tirou por 2 meses e meio das quadras.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo