Segredo de Djokovic é a devolução. Sérvio tem o dobro de pontos dos rivais



O blog de hoje traz algumas estatísticas interessantes após o término da primeira parte, o primeiro trimestre no ano com um Grand Slam, dois Masters 1000, três ATPs 500 e diversos ATPs 250.

A principal é a disparada de Novak Djokovic como o melhor do ano, um ranking que não é divulgado pela ATP, mas que será contado lá na frente, após o US Open para definir os oito classificados pro ATP Finals e o campeão de 2011.

Nole venceu os três principais eventos do ano e mais um forte ATP 500 e soma 4500 pontos em 2011, o dobro de vantagem para Roger Federer que vem em segundo com 1990 contabilizando um título, o ATP 250 de Doha (Qatar), um vice, em Dubai, e duas semis nos Masters 1000 e outra em Melbourne.

Quem seria o terceiro colocado ? Rafael Nadal ? Não. O espanhol perde para o compatriota David Ferrer por apenas 10 pontos de vantagem. David ganhou títulos em Acapulco, Auckland, semis na Austrália e quartas em Miami. A parada de um mês prejudicou Rafa que mesmo assim saltou do 13º pro 4º posto no ano com as duas finais nos Estados Unidos. A desvantagem deles para Federer é de pouco mais de 300 pontos.

Um pouco mais atrás e bem colados estão Robin Soderling e Andy Murray seguidos por Nicolas Almagro, Tomas Berdych e…Juan Martin Del Potro. O argentino, que saltou do 485º pro 45º lugar em dois meses, está empatado em oitavo lugar na temporada com o tcheco.

Federer e Del Potro tem algo em comum. Foram os que mais jogaram. Delpo disputou 27 partidas e venceu 21 e Federer jogou 26, ganhando uma a mais. Almagro, Berdych e Djokovic vem logo a seguir. Rafael Nadal é apenas o 11º que mais jogou, venceu 17 em 21 partidas. O brasileiro Thomaz Bellucci se encontra em 25º com 17 partidas disputadas e um aproveitamento de 58,8% (10 vitórias e 7 derrotas), aproveitamento melhor do que o top 10 espanhol Fernando Verdasco que tem recorde de 8-7.

Djokovic, sem dúvida, é o de melhor aproveitamento, 100%, podendo igualar a segunda melhor marca de início do ano de Ivan Lendl em 1986 se ganhar uma partida em Monte Carlo. Atrás dele está Soderling com 86,4% seguido por Federer com 84,6%. David Ferrer e Rafael Nadal estão empatados em 4º com 81,0 %.

Devolução é o segredo de Djokovic – Entre outros números Djokovic se destaca na devolução. Ele lidera nos pontos ganhos na devolução de 2º serviço (59%) e também nos games ganhos na devolução (43%). Se encontra em segundo lugar com 36% dos pontos ganhos na devolução de 1º serviço e en 3º com 50% dos break-points convertidos.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo