Alguém pode evitar Federer x Nadal ?



Respondendo a pergunta acima. Muito difícil. Os dois vêm atuando muito bem. Federer muito agressivo, focado e consistente e Nadal se aproveitando da quadra mais lenta de Miami, mas mesmo assim jogando pra frente e com um bom saque.

Pobre de Aleksandr Dolgopolov, que ainda é ingênuo ao enfrentar os tops, e Olivier Rochus que sofreu com a ira do suíço por iniciar o jogo à 0h37. Um pai de gemêas não pode dormir tão tarde não é ?

Os adversários são complicados. Nadal sempre se enrolou com Tomas Berdych, mas nos últimos quatro anos com sua evolução pro jogo agressivo achou a fórmula para derrotar o rival que não está muito afiado na competição, apesar das vitórias. Federer sempre se complicou diante de Gilles Simon e deve ter paciência nas trocas de fundo para não ser fisgado pelas armadilhas do rival que contra-ataca de forma eficiente.

Miami foi o palco onde a maior rivalidade do tênis começou com o então menino prodígio espanhol de 17 anos derrotava o recém-número 1 suíço em 2004. No ano seguinte, em uma grande final, Roger virou diante de Rafa. A Flórida aguarda por mais um capítulo do duelo, o primeiro da temporada.

Curtinhas:

É duro acompanhar certos jogos femininos. Dupla-falta daqui, dupla-falta de lá, tenista que abre 5/1 e amarela. Sharapova ontem fez 17 duplas-faltas,mas ganhou, uma batalha de 3h28min. Ivanovic desperdiçou cinco match-points contra a brava e pra mim número 1 do mundo Kim Clijsters. Uma derrota dura que vai pode machucar por algumas semanas a sérvia.

Lado positivo é o retorno de Sharapova ao top 10 e o surgimento da alemã Andrea Petkovic que comemora suas vitórias de um jeito peculiar, dançando.



MaisRecentes

Zverev tem tudo, mas ainda falta muito. Estranho, não ? 



Continue Lendo

Nem sempre se pode ganhar todas



Continue Lendo

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo