Aulas de Tie-Break ostensivas para Thomaz Bellucci



Vamos puxar o histórico de Tie-breaks de Thomaz Bellucci.  São 34 vitórias e 30 derrotas em jogos nível ATP. Bom até, mais ganhou do que perdeu. Mas nos últimos 15 meses – leia-se temporada 2010 e três primeiros meses de 2011, o brasileiro vem mostrando um apagão mental quando entra nos tie-breaks decisivos.

O que é isso afinal ? É quando um jogo vai para o desempate do 3º set nos torneios regulares e 5º no US Open (único Grand Slam sem set decisivo longo), ou seja, momento de total pressão, definição do jogo, bem diferente de outro tipo de tie-break. Bellucci tem apenas uma vitória nos últimos oito jogos em tal situação.

Especificamente esta derrota contra Blake,  Thomaz jogou “mais ou menos”, como explica o jornalista Daniel Perisse, que acompanhou a partida in loco.

De fato as derrotas para Thomaz nesta situação foram melancólicas. Este ano o 7 a 0 para Fábio Fognini não caiu bem. No fim do ano passado a queda para Kevin Anderson e Philipp Kohlschreiber e a má atuação contra Nicolas Almagro, após jogar bem a partida inteira, também não.

Bellucci está sentindo muito essa situação, cometendo falhas, sem sacar bem ou jogar de forma agressiva e consistente. Na maioria dos casos, Thomaz vira um jogador totalmente diferente do que faz a partida inteira.

Uma pena isso. Espero que Larri Passos esteja trabalhando bastante, fazendo com que Thomaz jogue muitos desempates em seus treinos contra os grandes jogadores. Pode ajudar, mas não resolver, visto que treino é treino e jogo é jogo.

Curtinhas:

E com essa derrota, Bellucci deixa de enfrentar a sensação Novak Djokovic na terceira rodada e perde 80 pontos ficando fora do top 30 a partir de abril. Situação de cabeça de chave começa a perigar para Roland Garros.

Falando no Daniel Perisse, ele está cobrindo o Miami para Diário LANCE! e escrevendo um blog para o site Tênis News. Vale a pena conferir. Boas sacadas!

E o Murray ? Tem que mudar a atitude em quadra e fora dela (técnico ajudaria) para não passar em branco e seguir dando vexames no saibro.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo