Federer e o duplo desafio. Frear Djokovic e Defender o Nº 2



Não tem mais graça quando Stanislas Wawrinka entra em quadra para enfrentar Roger Federer. O número dois da Suíça claramente respeita demais o compatriota e acaba jogando abaixo de suas capacidades, principalmente quando os pontos são importantes. É um prato cheio para o Roger se fazer.

Mas tirando este fator, vamos ao que é importante. Teremos a esperada semifinal de Federer x Djokovic. O suíço está jogando bem e o sérvio vem numa forma exuberante. Roger já provou por A + B que tem a qualidade necessária para derrotar o natural de Belgrado, afinal o fez por 13 vezes incluindo algumas no fim do ano passado.

A diferença é que a confiança de Nole está elevadíssima. Começa pela devolução, citada por Richard Gasquet como melhor do que a dos dois melhores do ranking, pelo baixo número de erros não-forçados e força mental nas horas chave do jogo. Barreiras que Federer pode quebrar com um bom serviço – algo que ainda não está sendo demolidor no torneio -, consistência no fundo e mudanças de ritmo. Ele não pode ficar trocando bolas no fundo, precisa dar slices, curtas, vir pra rede.

Não é simples, mas o arsenal de Federer é vasto e condições ele tem para evitar que a farra de Nole siga com 18 vitórias seguidas, 16 em 2011. Apesar de Federer dizer que o que vale mesmo é o número 1 do mundo, a derrota neste sábado o derruba pro 3º lugar. Logo, mais uma pimenta para o novo clássico do tênis.

Nadal x Del Potro – Outra promessa de jogão na semi. Nadal teve que suar e utilizar a raça para bater o saque de Karlovic numa das melhores partidas do torneio. Confiança virá em alta para enfrentar o argentino que está recuperando a boa forma.

Meu favoritismo é pro Nadal. Del Potro está jogando bem, mas patina em vários momentos dos jogos e seguidamente tem falhado na hora de encerrar sets e confrontos. O argentino, apesar de ter tido mais um dia de descanso, mostra-se ofegante e não tão bem na parte física.

– Não custa nada lembrar o perigo que Nadal corre, afinal, perdeu as três últimas de Delpo

– A Torre de Tandil ainda não ganhou de um Top 10 no retorno ao tênis desde o fim do ano passado.

Pra você leitor, quem disputa a final ? Opine!

Curtinhas:

Nadal igualou Sampras com 190 vitórias em Masters 1000 (perde apenas para Agassi com 209 e Federer com 228). Djokovic igualou Guga com 109.

Federer tem 17 títulos deste tipo de torneio e Nadal um a mais. Outra briga interessante pode ocorrer.

As semis trazem todos os últimos campeões de Grand Slams desde Roland Garros em 2005.



MaisRecentes

O legado Andy Murray



Continue Lendo

Federer começa animador em 2019. E não podemos dispensar Djokovic



Continue Lendo

O ano abaixo da crítica do tênis brasileiro 



Continue Lendo