Vitória do Alívio (e para deslanchar)



A primeira vitória sobre um Top 10 é inesquecível para qualquer tenista. Nem todos conseguem este tipo de feito, tanto é que o Brasil ficou sem ganhar de um tenista desta qualidade por quase sete anos. Pelo tanto e qualidade de Thomaz Bellucci esse triunfo demorou a acontecer. Foram dez partidas e a maioria com atuações abaixo do esperado.

Mas uma hora ela tinha que vir e veio no momento mais apropriado, quando Bellucci alternava altos e baixos, resultados longe do esperado e questionamentos.  Aquela vitória que, além de acrescentar confiança, o fará perder certo medo/receio quando ver outro Top 10 pela frente.

Infelizmente o jogo não foi mostrado para a TV, mas pelos números dá para se ter uma base de que o brasileiro usou muito bem o serviço (acima do 70% de primeiro saque), aproveitou bem as chances (converteu três de quatro possibilidades de quebra) e foi bem nos momentos decisivos, principalmente no terceiro set quando, após abrir 3/1, salvou quatro breaks, um no quinto game e um 0/40 quando servia em 5/3 pro jogo.

Sem desmerecer a vitória de Bellucci, mas o momento era favorável para derrotar Fernando Verdasco, como levantei a bola no post anterior. Ele ainda não havia jogado no saibro este ano e vinha do frio e o piso rapidíssimo de Memphis na semana passada. Essa mudança brutal de condições não é fácil para nenhum jogador.

Quem ficou acordado até 3h da manhã vibrou com a mais do que merecida maior vitória da carreira de Bellucci, aquela pode alavancar sua temporada que estava mediana até aqui. E agora ele não pode se vislumbrar. Ganhar de um tenista desse porte dá uma alta confiança pode fazer o tenista relaxar. E Bellucci não pode cometer esse erro, principalmente pois se torna favorito a ir para a semifinal de um ATP 500 o que seria um resultado ainda melhor.

Seu caminho é bem favorito. Enfrenta hoje o lucky-loser Ivan Navarro, jogador de saque e voleio sem muitos recursos no saibro. Nas quartas encara Eduardo Schwank ou Lukasz Kubot onde é o favorito.

É voltar a jogar bem para não esbarrar nos erros dos torneios de Santiago e Auckland onde tinha o favoritismo e bobeou.

Curtinhas:

Elogios de Verdasco a Bellucci: “(Bellucci) É muito bom no piso de saibro, um jogador de primeira. Eu ainda não estava adaptado totalmente ao piso e sabia que podeira perder”.

Hoje temos a estreia de Ferreiro e Sá nas duplas em Delray Beach, ATP no piso rápido. Mello enfrenta amanhã Mardy Fish nas oitavas, no repeteco das oitavas de 2004 quasndo o brasileiro venceu e foi campeão do torneio, seu único ATP da carreira. Será que vem outra zebra ? Aí é mais difícil.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo