Estreia boa para Bellucci em Auckland. Não gostei do Robredo…



Que curiosa essa primeira partida da parceria Bellucci-Larri em Auckland. O medalhão Michael Russell, que saiu do quali (103º do mundo), aquele que teve um match-point contra Guga em Roland Garros 2001 no que poderia ser uma das maiores zebras da década,mas foi oestopim de confiança para o tricampeonado do brasileiro.

Tecnicamente Russell não tem bola pra ganhar do Bellucci. É um baixinho que corre bastante, regular, mas não tem potência nem tanta profundidade nos golpes. Thomaz nem precisa sacar seu melhor pra vencer este jogo, basta evitar erros bobose ditar o ritmo dos pontos sem afobamento.

O que me preocupa é a segunda rodada. Tommy Robredo não está no seu melhor nível, perdeu um set para o modesto Michael Venus (300 do mundo) na primeira fase, mas tem um jogo que incomoda o brasileiro: regular e firme no fundo. Se Bellucci passar por este teste sem tanto desgaste tem ótimo caminho para fazer pelo menos uma semifinal.

Começou a epopeia pela madrugada. Ontem fiquei até 3h acordado acompanhando a batalha de Del Potro contra Feliciano Lopez. O argentino ainda não tá lá com aquela confiança, mas nada como uma vitória em 3h20min de jogo salvando match-point pra começar o processo de volta. Delpo fez muita falta em 2010. Sou fã de seu tênis agressivo, da sua direita, esquerda. Além do mais, Del Potro é trabalhador e humilde.



MaisRecentes

Djokovic a caminho de recordes



Continue Lendo

Indomável, Djokovic agora postula ida ao Nº 1. Brasil tem por quem torcer



Continue Lendo

Del Potro pisa mais forte que Nadal no US Open. NextGen ainda não embala



Continue Lendo