Venha sem preconceitos, pois precisamos falar da fase de Felipe Melo no Palmeiras



Felipe Melo tem sido um dos mais regulares jogadores palmeirenses da temporada 2019 (Foto: Flickr/Palmeiras)

Prestes a completar 36 anos de idade e a pouco mais de seis meses de concluir sua terceira temporada com a camisa do Palmeiras, Felipe Melo está vivendo a sua melhor fase no clube. Desde que chegou para reforçar o estrelado elenco palmeirense, em 2017, o volante não havia aliado fator físico, psicológico e técnico de maneira tão harmoniosa como neste primeiro semestre de 2019. Suas atuações chamam a atenção jogo após jogo e fica evidente que precisamos nos desarmar de nossos preconceitos e reconhecer o que tem jogado o palmeirense.

Gustavo Scarpa talvez tem sido o jogador que mais se destacou e que mais resolveu partidas, ao lado do sempre decisivo Dudu, porém a regularidade de Felipe Melo, até aqui, é comparável apenas com a de Gustavo Gómez. Felipão, inclusive, fez questão de elogiar a performance de seu volante no último domingo, diante do Atlético-MG, no Mineirão. Para o treinador, foi a melhor atuação do “Pitbull” sob seu comando.

Não é exagero nem bondade do técnico campeão do mundo, de fato Felipe foi um dos melhores contra o Galo, dominando o meio-campo defensivo, protegendo a área, soberbo na bola aérea e inspiradíssimo nos lançamentos, um deles magistral para Marcos Rocha cruzar para Dudu, que acertou a rede pelo lado de fora. Foi assim contra o Internacional, foi assim em tantos outros jogos da temporada, com exceção de um momento de desatenção contra o San Lorenzo, que aproveitou o vacilo para marcar o gol da vitória, na Argentina.

É verdade que nos outros anos o temperamento de Felipe e suas entradas no limite do amarelo deixaram o torcedor palmeirense em alerta para o que poderia acontecer, como foi contra o Cerro Porteño na Copa Libertadores do ano passado. Sua expulsão aos três minutos de jogo, quase colocou em risco a classificação para as quartas de final da competição. De lá para cá, nenhum caso do tipo, com exceção de um lance contra o Melgar, no Allianz Parque, em que o amarelo acabou saindo barato, mas não deixou o time na mão e só tem elevado seu nível.

Fato é que creio ser importante citar os episódios do parágrafo acima, mas não discuti-los a ponto de ofuscar o que tem sido mostrado em campo, como muitos têm feito quando o assunto é Felipe Melo. Mas não é só pelo temperamento que existe o preconceito de parte da mídia. Além disso, seu posicionamento político em 2018 não foi bem aceito, assim como não é até hoje. Tudo isso por não ser alinhado ideologicamente à maioria dessa classe. Para ajudar, o estilo de jogo do time que defende não têm a simpatia de parte dos analistas, que frequentemente menosprezam e desqualificam qualquer coisa que saia de Felipão e do clube.

A discussão não é clubismo, vitimismo, tampouco política, mas sim a narrativa estabelecida por uma parte dos formadores de opinião, que tentam impor determinado gosto e ideia de futebol. Tentam tomar a opinião de parte como se fosse a do todo. Fazendo parecer que há apenas uma maneira certa e uma maneira errada de se praticar o esporte. Falar bem de Felipe, de sua importância para o extremamente eficiente esquema palmeirense, significa a quebra dessa narrativa, o que não irá acontecer. No entanto, convido você leitor, livre para gostar dos diferentes estilos de jogo e de jogadores, a conversar sobre Felipe Melo. Precisamos falar dele, sem preconceitos, olhando para o campo. Aceita?

Obs.: As opiniões contidas no texto acima pertencem apenas ao autor.



MaisRecentes

É possível admirar o estilo Fernando Diniz no São Paulo sem ser um Dinizete fanático



Continue Lendo

Corinthians vai de ‘melhor técnico do Brasil’ ao alto risco de eliminação no Paulista



Continue Lendo

Empolgação ou desonestidade? Estreia no Paulista pareceu rodada da Premier League



Continue Lendo