Venha sem preconceitos, pois precisamos falar da fase de Felipe Melo no Palmeiras



Felipe Melo tem sido um dos mais regulares jogadores palmeirenses da temporada 2019 (Foto: Flickr/Palmeiras)

Prestes a completar 36 anos de idade e a pouco mais de seis meses de concluir sua terceira temporada com a camisa do Palmeiras, Felipe Melo está vivendo a sua melhor fase no clube. Desde que chegou para reforçar o estrelado elenco palmeirense, em 2017, o volante não havia aliado fator físico, psicológico e técnico de maneira tão harmoniosa como neste primeiro semestre de 2019. Suas atuações chamam a atenção jogo após jogo e fica evidente que precisamos nos desarmar de nossos preconceitos e reconhecer o que tem jogado o palmeirense.

Gustavo Scarpa talvez tem sido o jogador que mais se destacou e que mais resolveu partidas, ao lado do sempre decisivo Dudu, porém a regularidade de Felipe Melo, até aqui, é comparável apenas com a de Gustavo Gómez. Felipão, inclusive, fez questão de elogiar a performance de seu volante no último domingo, diante do Atlético-MG, no Mineirão. Para o treinador, foi a melhor atuação do “Pitbull” sob seu comando.

Não é exagero nem bondade do técnico campeão do mundo, de fato Felipe foi um dos melhores contra o Galo, dominando o meio-campo defensivo, protegendo a área, soberbo na bola aérea e inspiradíssimo nos lançamentos, um deles magistral para Marcos Rocha cruzar para Dudu, que acertou a rede pelo lado de fora. Foi assim contra o Internacional, foi assim em tantos outros jogos da temporada, com exceção de um momento de desatenção contra o San Lorenzo, que aproveitou o vacilo para marcar o gol da vitória, na Argentina.

É verdade que nos outros anos o temperamento de Felipe e suas entradas no limite do amarelo deixaram o torcedor palmeirense em alerta para o que poderia acontecer, como foi contra o Cerro Porteño na Copa Libertadores do ano passado. Sua expulsão aos três minutos de jogo, quase colocou em risco a classificação para as quartas de final da competição. De lá para cá, nenhum caso do tipo, com exceção de um lance contra o Melgar, no Allianz Parque, em que o amarelo acabou saindo barato, mas não deixou o time na mão e só tem elevado seu nível.

Fato é que creio ser importante citar os episódios do parágrafo acima, mas não discuti-los a ponto de ofuscar o que tem sido mostrado em campo, como muitos têm feito quando o assunto é Felipe Melo. Mas não é só pelo temperamento que existe o preconceito de parte da mídia. Além disso, seu posicionamento político em 2018 não foi bem aceito, assim como não é até hoje. Tudo isso por não ser alinhado ideologicamente à maioria dessa classe. Para ajudar, o estilo de jogo do time que defende não têm a simpatia de parte dos analistas, que frequentemente menosprezam e desqualificam qualquer coisa que saia de Felipão e do clube.

A discussão não é clubismo, vitimismo, tampouco política, mas sim a narrativa estabelecida por uma parte dos formadores de opinião, que tentam impor determinado gosto e ideia de futebol. Tentam tomar a opinião de parte como se fosse a do todo. Fazendo parecer que há apenas uma maneira certa e uma maneira errada de se praticar o esporte. Falar bem de Felipe, de sua importância para o extremamente eficiente esquema palmeirense, significa a quebra dessa narrativa, o que não irá acontecer. No entanto, convido você leitor, livre para gostar dos diferentes estilos de jogo e de jogadores, a conversar sobre Felipe Melo. Precisamos falar dele, sem preconceitos, olhando para o campo. Aceita?

Obs.: As opiniões contidas no texto acima pertencem apenas ao autor.



MaisRecentes

No futebol nossa torcida é mais contra ou a favor? Até que ponto a paixão nos cega?



Continue Lendo

Mesmo sem estar com a barriga cheia, Palmeiras parece não ter fome em 2019



Continue Lendo

Há beleza em todas as maneiras de vencer, feio é impor a ditadura do jogo bonito



Continue Lendo