São Paulo tem a pior defesa da temporada e busca humildade para fugir da degola



Hernanes falou em falta de humildade do São Paulo após derrota para o Palmeiras (Foto: Miguel Schincariol)

Hernanes falou em falta de humildade do São Paulo, pior defesa da temporada, após derrota para o Palmeiras (Foto: Miguel Schincariol)

Após a derrota do São Paulo por 4 a 2 para o Palmeiras, Hernanes tocou em um ponto essencial para entender o momento do time e até mesmo do clube: a falta de humildade. Para ele, a equipe não soube reconhecer o que, naquele momento, era o melhor a ser feito.

– Faltou um pouco de humildade, de pensar “estamos jogando contra o Palmeiras, uma grande equipe, no estádio dos caras, estamos empatando o jogo e um ponto é bom na situação em que estamos”. Falta essa maturidade de pensar isso – lamentou o meia.

De fato, a partida contra o Verdão chegou a ficar boa para o Tricolor quando estava empatada, e uma vitória não era algo inalcançável, porém com uma defesa tão vulnerável, a exposição ao ataque precisava ser calculada e não foi. Em um contra-ataque o rival sacramentou o triunfo e ainda teve tempo de fazer mais um.

Esse é um problema crônico do São Paulo em 2017, a pior defesa do país entre os clubes que disputam a Série A. Desde Rogério Ceni, quando as atuações encantavam os iludidos, nunca houve uma defesa confiável, pelo contrário, em vários momentos teve a pior média de gols sofridos, mas a desculpa dada era “toma três, mas faz quatro”. Pois é.

Dorival é apontado como o culpado por não acertar o setor defensivo, o que não é justo, já que a gestão anterior já era péssima nesse quesito, talvez até com erros bem mais infantis, primários, e medonhos, como o próprio ex-técnico declarou certa vez.

Com Dorival o São Paulo leva, em média, 1,9 gol por jogo, enquanto com Ceni levou, também em média, 1,2 por jogo. Sob esse ponto de vista, a crítica é justa, no entanto precisamos comparar os períodos em que cada um comandou a equipe na construção desses índices.

Comparação Rogério Ceni e Dorival Júnior

Comparação Rogério Ceni e Dorival Júnior

Como é possível ver, o aproveitamento dos dois treinadores contra times de Série A é praticamente o mesmo, apesar da diferença significativa na média de gols sofridos.

O importante é destacar que se trata de um problema crônico. A fragilidade defensiva prejudicou Ceni e prejudica Dorival, dessa maneira eles só conseguem conquistar quatro em cada dez pontos disputados contra times da mesma divisão.

Em 2017, se contarmos apenas os confrontos entre times da Série A do Brasileirão, o São Paulo tem o segundo pior aproveitamento, à frente apenas do Atlético-GO, mesma condição da tabela do campeonato nacional, no qual o Tricolor é também o pior visitante.

Aproveitamento contra equipes de Série A e estrangeiras

Aproveitamento contra equipes de Série A e estrangeiras

Diante de todos esses quesitos negativos, é bastante complicado diagnosticar os problemas se a realidade não for encarada. Ter a humildade de reconhecer o momento ruim, de analisar a necessidade de ser mais conservador e ser menos iludido podem ser caminhos para a fuga da zona da degola.

As viradas contra Botafogo e Cruzeiro, que deveriam servir de alívio e sinal de alerta, causaram empolgação, o que neste momento é prejudicial aos objetivos do time, algo que partiu de muitos setores da coletividade são-paulina, inclusive da imprensa.

Confira na galeria abaixo o ranking das piores defesas da temporada entre clubes da Série A:



MaisRecentes

É possível admirar o estilo Fernando Diniz no São Paulo sem ser um Dinizete fanático



Continue Lendo

Corinthians vai de ‘melhor técnico do Brasil’ ao alto risco de eliminação no Paulista



Continue Lendo

Empolgação ou desonestidade? Estreia no Paulista pareceu rodada da Premier League



Continue Lendo