Nem renda de Palmeiras e Corinthians é suficiente para pagar despesas de jogos do Paulistão



Passadas nove rodadas e um jogo antecipado da 11ª, o Paulistão vê as despesas de seus jogos aumentarem a cada semana. Há alguns dias, dissemos aqui que 51,27% daquilo que foi arrecadado com bilheteria, acabou sendo usado para abater os custos das partidas do campeonato.

Agora, com 91 duelos completados, 52,68% da renda bruta é destinada ao pagamento das despesas gerais, incluindo taxas da FPF. Veja os números e a seguir o gráfico:

Renda Bruta total: R$ 22.325.859,21
Renda Líquida: R$ 10.565.184,77 (47,32%)
Despesas gerais: R$ 11.760.674,44 (52,68%)

Confira com está a divisão da renda bruta no Paulistão 2016

Confira com está a divisão da renda bruta no Paulistão 2016

Outra comparação que chama a atenção é com as rendas brutas de Corinthians e Palmeiras. Se pegarmos esse dois clubes, os que mais faturam com bilheteria, não será suficiente para pagar a soma das despesas das partidas da competição. Confira os números:

Renda Bruta de Corinthians e Palmeiras: R$ 11.203.468,84
Despesas gerais dos 91 jogos do Paulistão: R$ 11.760.674,44



  • Paulo Bacchin

    Está na hora dos clubes se unirem Contra a FPF e CBF, onde já se viu, ganharem dinheiro nas custas dos clubes?

  • jonis

    Teria que ter um deletor premiado ai,e fazer a investigação.O marin,ou o Del Nero.Qqer um desses poderia ajudar na investigação e ter suas penas reduzidas.

  • Eliede

    Verdade cara

  • noroberto paulo sobrinho

    Allianz Parque e arena CORINTHIANS,dois lugares que mais tem público pagantes,onde se
    tem mais renda ,não e´ suficiente para a F.P.F.simples de resolver.
    sr. PAULO NOBRE e ROBERTO DE ANDRADE ,tira o time da competição,do paulistão,pra ver o que
    a F.P.F vai fazer.

    • Paulo Sérgio

      Cara concordo contigo

MaisRecentes

Bahia, Santos, Sport e Ponte Preta dominam a Seleção da 15ª Rodada do Brasileirão-2017



Continue Lendo

Em 2017, São Paulo só é melhor do que o Atlético-GO em duelos contra clubes de Série A



Continue Lendo

No Rio de Janeiro, 83% da renda com bilheteria é destinada a pagar despesas dos jogos



Continue Lendo