Palmeiras x Ferroviária: Venceu quem sabia o que fazer



Após a derrota para a Ferroviária por 2 a 1 no Allianz Parque, o técnico do Palmeiras, Marcelo Oliveira, disse não saber explicar a inconstância da equipe sob seu comando:

– Não fizemos dois jogos seguidos da mesma forma, como no último, em que marcamos melhor, criamos, e hoje novamente eu não tenho resposta – ‘respondeu’ o treinador.

Talvez os números do duelo possam trazer alguma luz para solucionar parte das dúvidas que pairam sobre o elenco palmeirense.

O primeiro fato a se destacar é o adversário, que não seria novidade. Este mesmo espaço comentou sobre o jogo da Ferroviária contra o Corinthians, em que o time do interior foi superior e não venceu por detalhes.

Contra o Verdão, o abismo entre o nível de jogo de um e de outro foi proporcional ao abismo financeiro entre os dois clubes em questão. A Ferroviária trocou 138 passes certos a mais que o dono da casa, o que mostra o controle que teve do jogo. Isso se não contarmos a posse de bola, que esteve 58% do tempo sob o domínio do time visitante.

Taticamente superior, o técnico português Sérgio Vieira ‘empurrou’ os palmeirenses para o campo de defesa quando avançou suas linhas, forçando o adversário a utilizar de uma prática corriqueira: o lançamento.

E não foram poucos. O Palmeiras lançou 56 bolas, 22 certas e 34 erradas, ou seja, já que trocar passes não funcionou, lançar virou a solução, que também não surtiu efeito, claro.

A Ferroviária, por sua vez, lançou 26 vezes, quase a metade do número estabelecido pelo Verdão. E ainda não falamos dos cruzamentos. Um time cruzou 21 vezes e acertou apenas uma, o outro tentou sete e também acertou uma. Dá para adivinhar de quem estamos falando?

Se não deu, é fácil elucidar. A equipe do interior apenas jogou seu futebol e não rifou sua posse de bola, o Verdão não se achou e qualquer esquema que tinha se perdeu no fim do jogo.

Se a equipe palmeirense já não vinha bem, sofreu ainda mais contra um adversário que, com certeza, sabia muito mais o que fazer.



MaisRecentes

É possível admirar o estilo Fernando Diniz no São Paulo sem ser um Dinizete fanático



Continue Lendo

Corinthians vai de ‘melhor técnico do Brasil’ ao alto risco de eliminação no Paulista



Continue Lendo

Empolgação ou desonestidade? Estreia no Paulista pareceu rodada da Premier League



Continue Lendo